Diagnóstico diferencial

SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO
EXAME
SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO

O início de asma ocorre geralmente nos primeiros anos de vida. Uma história pessoal ou familiar de alergia, rinite e eczema geralmente está presente. Há uma variabilidade diária nos sintomas, e os pacientes têm um excesso de sibilância que, geralmente, responde rapidamente a broncodilatadores. A variante tussígena da asma mimetiza várias características da doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC).

EXAME

Os testes de função pulmonar (TFPs) apresentam reversibilidade com broncodilatadores e não apresentam aumento da capacidade de difusão do monóxido de carbono (CDCO). Eosinofilia sérica ou no escarro sugerem asma.

SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO
EXAME
SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO

Geralmente há uma história presente de doenças cardiovasculares. Os pacientes relatam sintomas de ortopneia, sendo possível ouvir estertores inspiratórios bibasais à ausculta.

EXAME

Os níveis de peptídeo natriurético do tipo B são geralmente elevados, e a radiografia torácica revela um aumento na congestão vascular pulmonar. A ecocardiografia pode confirmar o diagnóstico.

SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO
EXAME
SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO

Pode haver uma história de infecção recorrente na infância. Grande volume de escarro purulento está geralmente presente. Podem-se ouvir crepitações grossas à ausculta. Histórias de coqueluche ou tuberculose são indicativas do diagnóstico.

EXAME

A tomografia computadorizada (TC) do tórax revela dilatação bronquial e espessamento da parede brônquica.

SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO
EXAME
SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO

Geralmente há uma história de febre, sudorese noturna, perda de peso e tosse produtiva crônica presente. A tuberculose é mais comum em pessoas que vivem ou são provenientes de regiões endêmicas.

EXAME

O diagnóstico requer confirmação microbiológica. Infiltrados, fibroses ou granuloma observados na radiografia torácica ou na TC do tórax podem sugerir tuberculose. Os pacientes geralmente apresentam prova tuberculínica positiva.

SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO
EXAME
SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO

A bronquiolite pode afetar pacientes em idades mais precoces. O paciente pode ter história de doenças do tecido conjuntivo, sobretudo artrite reumatoide ou exposição ao fumo. Alguns casos são pós-infecciosos.

EXAME

As provas de função pulmonar na bronquiolite podem apresentar padrão obstrutivo, restritivo ou misto. A radiografia torácica apresenta hiperinsuflação. A TC do tórax em alta resolução pode apresentar opacidades nodulares difusas, pequenas e centrolobulares, mas raramente é feita em crianças devido ao risco da radiação.

SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO
EXAME
SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO

Pode afetar pacientes de qualquer idade. História pregressa de trauma ou intubação é muito útil. O exame pulmonar geralmente é normal, mas pode apresentar sinais de restrição das vias aéreas superiores, como sibilância e estridor. Os pacientes podem apresentar rouquidão na voz se as pregas vocais estiverem envolvidas.

EXAME

A curva de volume do fluxo nos testes de função pulmonar pode revelar um platô característico de expiração ou inspiração, ou ambos. O diagnóstico é confirmado pela visualização direta da via aérea afetada através da endoscopia.

SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO
EXAME
SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO

Rinite/sinusite crônica é uma causa muito comum de tosse crônica. Os pacientes podem reclamar de pressão nos seios nasais, rinorreia, tosse não produtiva e/ou cefaleia.

EXAME

A TC dos seios nasais e/ou testes empíricos com anti-histamínicos são comumente utilizados para auxiliar no diagnóstico.

SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO
EXAME
SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO

Os pacientes com DRGE geralmente apresentam dispepsia e eructações frequentes, e podem apresentar tosse crônica que piora à noite em decúbito dorsal.

EXAME

O diagnóstico é geralmente com base na resposta à terapia empírica com inibidores da bomba de prótons.

SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO
EXAME
SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO

Os inibidores da ECA podem causar tosse crônica; entretanto, a tosse geralmente é não produtiva.

EXAME

O diagnóstico é geralmente baseado na melhora dos sintomas após a interrupção empírica do IECA.

SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO
EXAME
SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO

Os pacientes podem apresentar perda de peso, sudorese noturna, hemoptise e/ou dor torácica ou dorsalgia.

Pessoas com DPOC também têm aumento do risco de câncer de pulmão.

EXAME

A radiografia é importante na avaliação do câncer de pulmão. A broncoscopia pode ser necessária para avaliação de câncer endobrônquico se a suspeita for alta.

O uso deste conteúdo está sujeito aos nossos avisos legais