Prevenção primária

Evitar a exposição ao tabaco (medidas ativas e passivas) e fumaças tóxicas é de inestimável importância na prevenção primária da doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Deve-se oferecer a todos os fumantes intervenções com o objetivo de promover o abandono do hábito de fumar, incluindo farmacoterapia e aconselhamento. Embora o abandono do hábito de fumar possa estar associado a efeitos adversos menores de curta duração, como ganho de peso e constipação, seus benefícios em longo prazo são inquestionáveis.[45] Para doenças decorrentes da exposição ocupacional, a prevenção primária é obtida pela eliminação ou redução das exposições no local de trabalho. Medidas de saúde pública, como pedágio urbano, pistas exclusivas para veículos de alta ocupação e promoção de caminhadas ou ciclismo, podem ser implementadas para reduzir os danos causados pela poluição do ar.[46]


Visão geral das entrevistas motivacionaisVisão geral das entrevistas motivacionais

Entrevista motivacional: abandono do hábito de fumar parte 1Entrevista motivacional: abandono do hábito de fumar parte 1

Entrevista motivacional: abandono do hábito de fumar parte 2Entrevista motivacional: abandono do hábito de fumar parte 2

Prevenção secundária

Dependendo das diretrizes locais, os pacientes devem ser vacinados contra o vírus da gripe (influenza), Streptococcus pneumoniae, coqueluche (tosse comprida), vírus varicela-zóster (herpes-zóster) e doença do coronavírus de 2019 (COVID-19).[1][170]

A vitamina D reduz a taxa de exacerbações moderadas/graves nos pacientes com níveis <25 nmol/L.[252][253] Os níveis devem ser verificados em pacientes hospitalizados por exacerbação da DPOC, devendo-se administrar suplementação se os níveis forem <25 nmol/L.[1]

Medidas de proteção (por exemplo, uso de máscara, redução do contato social e higienização frequente das mãos) podem ser consideradas durante os meses de inverno, junto com o tratamento estabelecido para a DPOC, para ajudar a prevenir exacerbações da DPOC.[1]

O uso de suplementação de cálcio e outros medicamentos pode ser necessário para prevenir ou tratar a osteoporose em alguns pacientes, sobretudo em mulheres idosas que estejam sob corticoterapia de longo prazo. Exames de densidade óssea são feitos para avaliar a progressão dessa afecção.

Recomenda-se atividade física para todos os pacientes com DPOC.[1]

O uso deste conteúdo está sujeito ao nosso aviso legal