Rastreamento

Não existem dados que mostrem de forma conclusiva que o rastreamento por espirometria seja eficaz no direcionamento das decisões de manejo ou na melhora dos desfechos da doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) que são identificados antes do desenvolvimento de sintomas significativos.[27] Entretanto, se a DPOC for diagnosticada em um estágio precoce e os fatores de risco forem eliminados, a taxa de declínio nas funções pulmonares irá diminuir drasticamente. O tratamento é muito mais eficaz nos primeiros estágios da doença.[28]

O rastreamento pode ser feito perguntando-se sobre história de tabagismo e exposição ambiental ou ocupacional. Em populações de risco elevado,deve-se fazer uma espirometria como rastreamento para documentar a obstrução das vias aéreas. Alguns especialistas defendem a realização do rastreamento por espirometria em todos os pacientes com achados compatíveis com enfisema na radiografia torácica ou na tomografia computadorizada do tórax. Uma disfunção pulmonar significativa pode estar presente em fumantes assintomáticos.

O uso deste conteúdo está sujeito aos nossos avisos legais