Discussões com os pacientes

Medidas gerais de prevenção

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos ou usar um antisséptico para as mãos à base de álcool (que contenha pelo menos 60% de álcool), especialmente depois de estar em um local público, assoar o nariz ou tossir/espirrar. Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.

  • Evite o contato próximo com as pessoas (isto é, mantenha uma distância de pelo menos 1 metro [3 pés]), incluindo apertar as mãos, principalmente dos que estejam doentes, tenham febre ou estejam tossindo ou espirrando. É importante observar que as distâncias recomendadas diferem entre os países (por exemplo, 2 metros [6 pés] são recomendados nos EUA e no Reino Unido) e você deve consultar as orientações locais.

  • Praticar a higiene respiratória (ou seja, cobrir a boca e o nariz ao tossir ou espirrar, descartar lenços imediatamente em uma lixeira com tampa e lavar as mãos).

  • Fique em casa se estiver doente, mesmo com sintomas leves, até se recuperar (exceto para obter assistência médica)

  • Limpar e desinfetar diariamente as superfícies tocadas com frequência (por exemplo, interruptores de luz, maçanetas, bancadas, puxadores, telefones).[360][361]

  • BMJ Learning: Covid-19 – handwashing technique and PPE videos external link opens in a new window

Máscaras faciais

  • Apesar da ausência de evidências de alta qualidade, a Organização Mundial da Saúde (OMS) aconselha que em áreas de transmissão comunitária ou agrupamento conhecido ou suspeito, as pessoas devem usar uma máscara não médica nas seguintes circunstâncias: ambientes internos ou externos onde o distanciamento físico não possa ser mantido; ambientes internos com ventilação inadequada, independentemente de se o distanciamento físico pode ser mantido; e situações em que o distanciamento físico não possa ser mantido e a pessoa tenha um risco maior de complicações graves (por exemplo, idade avançada, condição subjacente). Cuidadores e pessoas que convivem com casos suspeitos ou confirmados devem usar máscara médica quando estiverem no mesmo ambiente, independentemente de o caso apresentar ou não sintomas. Crianças de até 5 anos não devem usar máscaras para controle de fonte. Uma abordagem baseada no risco é recomendada para as crianças de 6 a 11 anos. Considerações especiais são necessárias para crianças imunocomprometidas ou com certas doenças, distúrbios de desenvolvimento ou deficiências. A OMS informa que as pessoas não devem usar máscaras durante atividades físicas de intensidade vigorosa. O uso de uma máscara isoladamente é insuficiente para fornecer a proteção adequada, e ela deve ser usada em conjunto com outras medidas de prevenção e controle de infecções, como higiene frequente das mãos e distanciamento social.[84]

  • WHO: coronavirus disease (COVID-19) advice for the public – when and how to use masks external link opens in a new window

  • Public Health England: how to make a cloth face covering external link opens in a new window

  • CDC: use of masks to help slow the spread of COVID-19 external link opens in a new window

Orientações de viagem

Animais de estimação

  • No momento, não há evidências de que os animais de companhia (incluindo animais de estimação e outros animais) desempenhem um papel significativo na disseminação da COVID-19, e o risco de os animais disseminarem a COVID-19 para as pessoas é considerado muito baixo. Não há evidências de que o vírus possa se disseminar para as pessoas a partir da pele ou dos pelos de animais de companhia.[1074]

  • Foi relatado um número muito pequeno de animais de estimação infectados com o vírus após contato próximo com pessoas com COVID-19 confirmado; no entanto, milhares de animais de estimação foram testados nos EUA sem nenhum resultado positivo. Há evidências de que gatos e furões são altamente suscetíveis ao coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2 (SARS-CoV-2), enquanto cães e outros animais não têm ou têm baixa suscetibilidade. Grandes felinos em cativeiro (leões, tigres e um puma) e gatos domésticos tiveram resultados positivos após contatos com humanos sintomáticos. O vírus foi relatado em visons em fazendas e, uma vez que o vírus é introduzido em uma fazenda, pode se disseminar entre os visons, e entre os visons e outros animais da fazenda. Também existe a possibilidade do vison transmitir a infecção aos humanos nesses ambientes.[1075][1076][1077][1078] Também houve relatos de transmissão entre gatos.[1079]

  • Aconselhe os pacientes a limitar seu contato com animais de estimação e outros animais, especialmente enquanto estiverem sintomáticos. Aconselhe as pessoas a não deixarem animais de estimação interagirem com pessoas ou animais fora da casa e, se um membro da família se sentir mal, isole-o de todos os outros, incluindo os animais de estimação.[1080]

  • CDC: coronavirus disease 2019 (COVID-19) – pets and other animals external link opens in a new window

Atletas e pessoas altamente ativas

  • Oriente os pacientes assintomáticos com exame positivo a não praticarem atividades físicas por 2 semanas após o resultado do teste, com retomada lenta sob orientação de uma equipe de saúde. Oriente os pacientes levemente sintomáticos com exame positivo a não praticarem atividades físicas até 2 semanas após o desaparecimento dos sintomas e a retomarem as atividades somente após uma avaliação cardíaca completa. Se o resultado da avaliação for normal, a retomada das atividades sob orientação de uma equipe saúde pode ser considerada, com monitoramento estrito em relação a uma possível piora clínica.[1081]

  • Orientações sobre o retorno aos esportes após a COVID-19 em crianças estão disponíveis na American Academy of Pediatrics:

Recursos

O uso deste conteúdo está sujeito ao nosso aviso legal