Critérios

Avaliação de exacerbações graves

A gravidade depende do estado prévio do paciente e da ocorrência de alterações em relação à investigação inicial prévia (baseada nos sintomas, nos exames, na função pulmonar e na gasometria arterial). O uso de músculos respiratórios acessórios, respirações paradoxais, cianose, edema periférico de início recente, instabilidade hemodinâmica e/ou piora do estado mental (por exemplo, confusão, letargia, coma) são indicadores importantes de gravidade da exacerbação.[1]

O uso deste conteúdo está sujeito aos nossos avisos legais