Infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV)

Última revisão: 21 Abr 2022
Última atualização: 12 Ago 2021
22 Feb 2022

FDA aprova o primeiro tratamento injetável para profilaxia pré-exposição ao HIV

A Food and Drug Administration dos EUA aprovou o primeiro tratamento injetável para profilaxia pré-exposição (PPrE) da infecção por HIV. A suspensão injetável de liberação prolongada de cabotegravir está aprovada para uso em adultos e adolescentes em risco, para reduzir o risco de infecção por HIV adquirida sexualmente.

A injeção tem a vantagem de um cronograma de dosagem mais prático, em comparação com a PPrE oral; cabotegravir é administrado por via intramuscular a cada 2 meses, enquanto a PPrE oral precisa ser tomada diariamente. Isso pode resolver problemas relativos à adesão de pacientes.

A segurança e a eficácia de cabotegravir foram avaliadas em dois ensaios clínicos randomizados duplo-cegos que compararam cabotegravir com tenofovir/entricitabina oral. Os ensaios clínicos mostraram que os participantes que receberam cabotegravir apresentaram um risco 69% a 90% menor de serem infectados pelo HIV, em comparação com os participantes que receberam tenofovir/entricitabina. Os efeitos adversos incluíram reações no local da injeção, cefaleia, febre, fadiga, dorsalgia, mialgia e erupção cutânea. Reações de hipersensibilidade, hepatotoxicidade e transtornos depressivos também foram relatados.

É necessário um teste de HIV negativo antes de iniciar o tratamento e antes de cada injeção, para reduzir o risco de desenvolver resistência ao medicamento. Os pacientes podem começar a tomar cabotegravir por via oral inicialmente para determinar se apresentam tolerância ao medicamento antes de trocar para a formulação intramuscular.

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças atualizaram previamente suas orientações sobre PPrE, no fim de 2021, para recomendar a injeção de cabotegravir como uma opção de PPrE em adultos que relatam comportamentos sexuais que os colocam em risco contínuo de exposição e aquisição de HIV.

Ver Tratamento: prevenção

Fonte original da atualização

Resumo

Definição

História e exame físico

Principais fatores diagnósticos

  • presença de fatores de risco
  • febre e sudorese noturna
  • perda de peso
  • erupções cutâneas e cicatrizes pós-inflamatórias
  • úlceras orais, queilite angular, candidíase bucal ou leucoplasia pilosa oral
  • diarreia
  • síndrome de emaciação
  • alterações no estado mental ou na função neuropsiquiátrica
  • internações hospitalares recentes
  • tuberculose (TB)
  • comorbidades clínicas
  • atividade sexual
  • linfadenopatia generalizada
  • Sarcoma de Kaposi
  • ISTs genitais
  • candidíase vaginal crônica
  • herpes-zóster
  • cefaleias
  • doença periodontal
  • lesões retinianas em fundoscopia
  • dispneia durante o esforço físico, cianose durante o esforço físico, tosse seca, tórax silencioso à ausculta
Mais principais fatores diagnósticos

Outros fatores diagnósticos

  • uso atual e prévio de outras substâncias
  • neuropatia periférica
  • herpes simples recorrente
  • hepatomegalia ou esplenomegalia
  • sinais meníngeos (meningite bacteriana ou viral)
Outros fatores diagnósticos

Fatores de risco

  • compartilhamento de agulha durante o uso de drogas intravenosas
  • penetração anal receptiva sem proteção
  • relação sexual vaginal receptiva sem proteção
  • lesão percutânea provocada por agulha
  • alta carga viral materna (transmissão de mãe para filho)
  • uso de contraceptivos injetáveis somente à base de progestina
  • infecção por vírus do herpes simples tipo 2 (HSV-2)
Mais fatores de risco

Investigações diagnósticas

Primeiras investigações a serem solicitadas

  • HIV sérico por ensaio de imunoadsorção enzimática (ELISA)
  • teste rápido para sorologia de HIV
  • testes de HIV não invasivos
  • Western-blot sérico
  • antígeno sérico p24
  • reação em cadeia da polimerase do DNA do HIV sérico
  • contagem de CD4
  • carga viral sérica (RNA do HIV)
  • teste de resistência a medicamentos
  • teste de gravidez
  • sorologia para hepatite B
  • sorologia para hepatite C
  • teste sérico do VDRL (Venereal Disease Research Laboratory, laboratório de pesquisa de doenças venéreas)
  • Teste de hemaglutinação para Treponema pallidum
  • reagina plasmática rápida
  • teste tuberculínico
  • Hemograma completo com diferencial
  • eletrólitos séricos
  • creatinina sérica
  • urinálise
Mais primeiras investigações a serem solicitadas

Investigações a serem consideradas

  • radiografia torácica
  • testes da função hepática
  • perfil lipídico aleatório ou em jejum
  • glicose plasmática em jejum ou aleatória
  • sorologia (IgG) para hepatite A
  • sorologia (imunoglobulina G [IgG]) para toxoplasmose
  • exames para gonorreia e clamídia
  • teste para antígeno leucocitário humano (HLA)-B*5701
Mais investigações a serem consideradas

Algoritmo de tratamento

Aguda

infecção recentemente confirmada

Contínua

fracasso terapêutico virológico ou imunológico

Colaboradores

Autores

Chad J. Achenbach, MD, MPH

Assistant Professor of Medicine

Infectious Diseases

Northwestern Medicine

Feinberg School of Medicine, Northwestern University

Chicago

IL

Declarações

CJA has received funds for lecturing at educational events and reimbursement for travel to these lectures by ViiV pharmaceuticals. CJA has been paid for service on a Data Safety Monitoring Board by ABIVAX.

Agradecimentos

Dr Chad J. Achenbach would like to gratefully acknowledge Dr Richard Rothman, Dr Michael Ehmann, Dr Linda-Gail Bekker, Dr Catherine Orrell, and Dr Lisa Capaldini, the previous contributors to this topic.

Declarações

ME, LGB, and CO declare that they have no competing interests. RR attended a symposium/conference hosted by a funding agency, Gilead HIV FOCUS programme, from which he receives research funds. RR pays staff for an implementation/research programme grant from Gilead HIV FOCUS for development of HIV testing programmes in Emergency Departments. LC is on the speakers' bureau for the following pharmaceutical companies: GlaxoSmithKline, BMS, Merck, Gilead, Roche, Pfizer, Solvay, Lilly, Serrano, and Tibotec.

Revisores

Marianne Harris, MD

Clinical Assistant Professor

University of British Columbia

Vancouver

Canada

Declarações

MH is a member of an advisory board and/or speakers' bureau for Gilead Sciences Canada Inc, Merck Canada Inc, and ViiV Healthcare.

William Rodriguez, MD

Assistant Professor of Medicine

Harvard Medical School

Director of Research

Global Health Delivery Project

Harvard School of Public Health

Boston

MA

Declarações

WR declares that he has no competing interests.

Jeremy Day, BChir, MB

Infectious Disease Physician

Oxford University Clinical Research Unit

Hospital for Tropical Diseases

Ho Chi Minh City

Vietnam

Declarações

JD declares that he has no competing interests.

  • Infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) images
  • Diagnósticos diferenciais

    • Mononucleose infecciosa
    • Infecção por citomegalovírus (CMV)
    • Gripe (infecção por influenza)
    Mais Diagnósticos diferenciais
  • Diretrizes

    • Guidelines for the use of antiretroviral agents in adults and adolescents living with HIV
    • Guidelines for the prevention and treatment of opportunistic infections in adults and adolescents with HIV
    Mais Diretrizes
  • Folhetos informativos para os pacientes

    HIV: o que é?

    HIV: testagem

    Mais Folhetos informativos para os pacientes
  • Videos

    Venopunção e flebotomia – Vídeo de demonstração

    Mais videos
  • padlock-lockedLog in or subscribe to access all of BMJ Best Practice

O uso deste conteúdo está sujeito ao nosso aviso legal