Última revisão: 22 Set 2020
Última atualização: 06 Maio 2020
06 May 2020

A FDA alerta para o risco potencial de transmissão de bactérias patogênicas associadas ao transplante de microbiota fecal

A Food and Drug Administration (FDA) dos EUA está alertando os profissionais da saúde para considerarem o risco potencial de transmissão de bactérias patogênicas associadas aos produtos de transplante de microbiota fecal (TMF), que podem resultar em reações adversas graves.

A agência tomou conhecimento de seis relatos de infecções causadas por Escherichia coli enteropatogênica (EPEC) e Escherichia coli produtora de toxina Shiga (STEC) que ocorreram após o uso experimental de TMF. Suspeita-se que essas infecções foram causadas pela transmissão de organismos patogênicos a partir de produtos de TMF fornecidos por uma empresa de bancos de fezes sediada nos EUA. Dois desses pacientes morreram; no entanto, não se sabe se a infecção por STEC contribuiu para essas mortes.

A FDA emitiu anteriormente um alerta de segurança em junho de 2019, alertando que o TMF pode transmitir organismos resistentes a múltiplos medicamentos, causando infecções graves ou com risco de vida, principalmente em pacientes imunocomprometidos. Isso seguiu dois casos de adultos imunocomprometidos que receberam TMF e desenvolveram infecções invasivas causadas por Escherichia coli produtora de beta-lactamase de espectro estendido (BLEE). Um dos pacientes morreu.[72]

Atualmente, o TMF é recomendado como uma opção pelas diretrizes da Infectious Diseases Society of America/Society for Healthcare Epidemiology of America para pacientes com pelo menos duas recorrências e onde a antibioticoterapia falhou.[2]

Consulte Tratamento: passo a passo

Consulte Tratamento: algoritmo de tratamento

Fonte original de atualizaçãoexternal link opens in a new window

Resumo

Definição

História e exame físico

Principais fatores de diagnóstico

  • presença de fatores de risco
  • diarreia
  • dor abdominal

Outros fatores de diagnóstico

  • febre
  • desconforto abdominal
  • náuseas e vômitos
  • distensão abdominal
  • sintomas de choque

Fatores de risco

  • exposição a antibióticos
  • idade avançada
  • hospitalização ou permanência em instituição asilar
  • história de doença associada ao Clostridium difficile
  • uso de medicamentos supressores de ácido
  • doença inflamatória intestinal
  • receptores de transplante de órgão sólido
  • receptores de transplante de células-tronco hematopoéticas
  • doença renal crônica
  • Infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV)
  • agentes imunossupressores ou quimioterapia
  • cirurgia gastrointestinal
  • deficiência de vitamina D

Exames diagnósticos

1° exames a serem solicitados

  • Hemograma completo
  • teste de guáiaco (exame de sangue oculto nas fezes)
  • reação em cadeia da polimerase das fezes
  • imunoensaio de fezes para glutamato desidrogenase
  • imunoensaio de fezes para toxinas A e B
  • radiografia abdominal
Mais 1° exames a serem solicitados

Exames a serem considerados

  • ensaio de neutralização de citotoxicidade da cultura celular
  • tomografia computadorizada (TC) abdominal
  • sigmoidoscopia ou colonoscopia
Mais exames a serem considerados

Novos exames

  • lactoferrina ou calprotectina nas fezes
Mais novos exames

Algoritmo de tratamento

Colaboradores

Clinical Associate Professor of Medicine

Alabama Infectious Diseases Center

Huntsville

AL

Divulgações

AH declares that he has no competing interests.

Colegas revisoresMOSTRAR TODOS

Department of Epidemiology

Division of General Medicine and Epidemiology

UNC at Chapel Hill

Chapel Hill

NC

Divulgações

JA declares that he has no competing interests.

Consultant Gastroenterologist

Department of Gastroenterology

John Radcliffe Hospital

Oxford

UK

Divulgações

SK declares that he has no competing interests.

Clinical Reader and Consultant Gastroenterologist

Norfolk and Norwich University Hospital

Norwich

UK

Divulgações

IB declares that he has no competing interests.

O uso deste conteúdo está sujeito aos nossos avisos legais