Sepse em crianças

Última revisão: 6 Jan 2023
Última atualização: 25 Jan 2023
25 Jan 2023

Altas taxas de infecção por estreptococo do grupo A na Inglaterra

Em um relatório da Agência de Vigilância Sanitária do Reino Unido (UKHSA), as notificações de escarlatina e doença invasiva por estreptococo do grupo A (iGAS) na Inglaterra são maiores do que o esperado para esta época do ano.

Recomenda-se o tratamento imediato de crianças com escarlatina com antibióticos para reduzir o risco de possíveis complicações e limitar a transmissão futura. Se houver incerteza sobre o diagnóstico, obtenha um swab da garganta antes de iniciar os antibióticos. Crianças com escarlatina devem ficar em casa até 24 horas após o tratamento com antibióticos.

Escarlatina:

  • Cerca de 90% dos casos ocorrem em crianças menores de 10 anos

  • Geralmente uma doença leve, mas altamente infecciosa

  • Apresenta-se com uma erupção cutânea eritematosa generalizada, que parece uma lixa

  • Frequentemente precedida por dor de garganta (faringite, amigdalite)

  • Eritema faríngeo com exsudatos, petéquias palatinas e língua vermelha e inchada (em morango) são características sugestivas.

Infecção invasiva por estreptococo do grupo A:

  • As taxas relativamente mais altas de iGAS em crianças nesta temporada podem refletir taxas aumentadas de uma infecção viral anterior (incluindo vírus respiratórios e varicela)

  • Os médicos são aconselhados a manter um alto índice de suspeita, pois o reconhecimento precoce e o início imediato de terapia específica e de suporte para pacientes com infecção por iGAS podem salvar vidas.

Mais informações da UKHSA:

Ver Etiologia

Fonte original da atualização

Resumo

Definição

História e exame físico

Principais fatores diagnósticos

  • presença de fatores de risco
  • febre ou baixa temperatura corporal
  • taquipneia
  • taquicardia
  • bradicardia (neonatos e lactentes)
  • estado mental ou comportamento alterados
  • perfusão periférica deficiente
  • alteração no padrão usual de atividade ou alimentação em um neonato
  • fraldas secas/débito urinário diminuído
  • medicina pediátrica e hebiátrica, aspecto acinzentado, cianose
  • baixa saturação de oxigênio
  • vasoplegia
  • erupção cutânea purpúrea que não desaparece à digitopressão
Mais principais fatores diagnósticos

Outros fatores diagnósticos

  • hipotensão
  • sinais e sintomas focais específicos que refletem a patologia subjacente
Outros fatores diagnósticos

Fatores de risco

  • imunodeficiência
  • comorbidades
  • sexo masculino
  • idade mais precoce (principalmente neonatos)
  • fatores de risco perinatais de infecção (neonatos)
  • fatores associados aos cuidados de saúde (neonatos)
  • cirurgia recente ou outros procedimentos invasivos
  • integridade cutânea prejudicada
Mais fatores de risco

Investigações diagnósticas

Primeiras investigações a serem solicitadas

  • Hemograma completo com diferencial
  • glicose sérica
  • hemocultura
  • urinálise
  • urocultura
  • gasometria
  • lactato sérico
  • eletrólitos séricos
  • creatinina sérica
  • TFHs
  • exames de coagulação
  • proteína C-reativa
  • radiografia torácica
Mais primeiras investigações a serem solicitadas

Investigações a serem consideradas

  • punção lombar
  • análise meningocócica da reação em cadeia da polimerase
  • cultura da lavagem broncoalveolar
  • reação em cadeia da polimerase do vírus do herpes simples (HSV) (sangue e líquido cefalorraquidiano)
Mais investigações a serem consideradas

Novos exames

  • procalcitonina sérica
  • novos biomarcadores
  • Kit PhenoTest™ BC

Algoritmo de tratamento

Aguda

sepse presumida ou confirmada

Colaboradores

Autores

Akash Deep, MD, FRCPCH

Director and Professor of Paediatric Critical Care

Paediatric Intensive Care Unit

King’s College Hospital

London

UK

Declarações

AD declares that he has no competing interests.

Chris Duncan, BMBS, BMedSci, MRCP, FFICM, FEWM, PGCert

Professorial Fellow

Intensive Care Medicine

Nepean Hospital

Sydney

Australia

Declarações

CD declares that he has no competing interests.

Agradecimentos

Dr Akash Deep and Dr Chris Duncan would like to gratefully acknowledge Dr Jeremy Tong and Dr Adrian Plunkett, previous contributors to this topic.

Declarações

JT and AP are authors involved in the Paediatric Sepsis Six initiative, cited in this topic.

Revisores

Saul N. Faust, MA, MBBS, FRCPCH, PhD, FHEA

Professor of Paediatric Immunology & Infectious Diseases

Director, NIHR Wellcome Trust Clinical Research Facility

University of Southampton

Southampton

UK

Declarações

SNF declares that he has no competing interests.

Mohan Pammi, MBBS, MD, MRCPCH

Assistant Professor

Texas Children's Hospital and Baylor College of Medicine

Houston

TX

Declarações

MP declares that he has no competing interests.

Jerry J. Zimmerman, MD, PhD

Faculty, Pediatric Critical Care Medicine

Seattle Children's Hospital

University of Washington School of Medicine

Seattle

WA

Declarações

JJZ receives research grant support from NIH/NICHD and ImmuneXpress; travel reimbursement from the Society of Critical Care Medicine to attend board meetings; and royalties from Elsevier for action as a co-editor for the textbook Pediatric Critical Care.

  • Sepse em crianças images
  • Diagnósticos diferenciais

    • Doença do coronavírus 2019 (COVID-19)
    • Síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica
    • Cardiopatia congênita
    Mais Diagnósticos diferenciais
  • Diretrizes

    • Statement on the initial antimicrobial treatment of sepsis
    • Neonatal infection: antibiotics for prevention and treatment
    Mais Diretrizes
  • Folhetos informativos para os pacientes

    Sepse em crianças

    Vacina pneumocócica em bebês e crianças

    Mais Folhetos informativos para os pacientes
  • padlock-lockedConectar-se ou assinar para acessar todo o BMJ Best Practice

O uso deste conteúdo está sujeito ao nosso aviso legal