Novos tratamentos

Inibidores de fusão

Os inibidores da formação de complexos HR1-HR2 previnem a entrada do vírus nas células-alvo. Embora existam dados experimentais abrangentes disponíveis, nenhum ensaio clínico ou documentação da eficácia em humanos foi relatado.[56]

Óxido nítrico e doadores de óxido nítrico

Esses compostos, que inibem o ciclo de replicação do coronavírus de síndrome respiratória aguda grave (SARS-CoV), foram usados como terapia de resgate em alguns pacientes com SARS, e sugeriu-se que o óxido nítrico tem um grau de eficácia clínica contra a infecção.[57]

Anticorpos neutralizadores monoclonais humanos

Oferecem proteção passiva e devem ser usados idealmente no período pós-infecção. Embora exista um número substancial de estudos experimentais, não há dados clínicos que evidenciem a eficácia de anticorpos neutralizadores monoclonais humanos em seres humanos.[58]

Ervas chinesas

Há poucas evidências de que as ervas chinesas combinadas com a medicina ocidental melhorem os sintomas, a qualidade de vida e a absorção da infiltração pulmonar e diminuam a posologia de corticosteroides para pacientes com SARS. Nenhuma diferença na diminuição da mortalidade foi comprovada com as ervas chinesas combinadas com a medicina ocidental, quando comparadas à medicina ocidental isoladamente.[59]

Niclosamida

Um medicamento anti-helmíntico que inibe a replicação do SARS-CoV. Só existem dados in vitro para a niclosamida.[60]

Valinomicina

Um inseticida depsipeptídeo cíclico que age como um transportador de íons de potássio, inibindo a replicação viral. Esse talvez seja o agente mais potente contra o SARS-CoV in vitro.[61]

Ácidos ribonucleicos interferentes pequenos (siRNAs)

Agem via regulação pós-transcricional do ácido ribonucleico mensageiro (RNAm) viral e são uma intervenção promissora, sem efeitos adversos observados em modelos animais.[62]

Ácido aurintricarboxílico

Esse composto inibe a replicação do SARS-CoV dentro das células hospedeiras. Não foi relatado nenhum ensaio clínico ou documentação de eficácia em humanos.[63]

Indutor de interferona do ácido ribonucleico (RNA; ampligen)

Em modelos animais, esse indutor de interferona do RNA parece inibir os títulos de vírus nos pulmões. Não foi relatado nenhum ensaio clínico ou documentação de eficácia em humanos.[64]

Antibióticos glicopeptídeos

Vários derivativos semissintéticos de antibióticos glicopeptídeos demonstraram atividade inibitória contra o SARS-CoV. Não foi relatado nenhum ensaio clínico ou documentação de eficácia em humanos.[65]

Hesperetina

Um composto fenólico que inibe a atividade de clivagem da 3CLpro. A 3CLpro media o processamento proteolítico dos polipeptídeos replicase 1a e 1ab nas proteínas funcionais necessárias para a existência do vírus SARS-CoV. Só existem dados in vitro para a hesperetina.[66]

Diterpenoides

Só existem dados in vitro dos efeitos inibitórios desses compostos sobre o SARS-CoV.[61]

Inibidores da calpaína

Uma classe de proteases da cisteína celulares que inibe a replicação do SARS-CoV. Não há dados clínicos que demonstrem a eficácia dos inibidores da calpaína em humanos.[67]

Lectinas de plantas

A atividade desses compostos contra o coronavírus se baseia na interferência de 2 alvos no ciclo de replicação viral. Só existem dados in vitro para as lectinas de plantas.[68]

Glicirrizina

Um componente ativo da raiz do alcaçuz demonstrou inibir a replicação do SARS-CoV in vitro. Não há dados clínicos que demonstrem a eficácia da glicirrizina em humanos.[69]

Cloroquina

Esse medicamento antimalárico parece ser capaz de influenciar negativamente a ligação do receptor-vírus. Sugere-se que a cloroquina previne a disseminação viral na cultura celular.[70]

Nelfinavir

Esse composto tem uma atividade anti-SARS-CoV em modelos experimentais. Não foi relatado nenhum ensaio clínico ou documentação de eficácia em humanos.

Vacinas

Respostas de células B da memória periférica não são detectáveis em pacientes recuperados de SARS. Por outro lado, respostas anamnésticas de células T específicas podem ser mantidas por pelo menos 6 anos. Esses achados têm aplicações na preparação para o possível reaparecimento da SARS.[71] Diversas vacinas candidatas estão em desenvolvimento, incluindo vacina de vírus inativado, vacina baseada em proteína (RBD-Fc), vacina de vetor recombinante viral adeno-associado (RBD-rAAV) e vacina de vírus atenuado. A imunização contra SARS-CoV parece ser possível, embora não esteja disponível para uso clínico no momento.[72][73]

O uso deste conteúdo está sujeito aos nossos avisos legais