Monitoramento

Pacientes com fatores de risco para DRC como diabetes, hipertensão ou um membro da família com DRC devem ser avaliados anualmente com creatinina sérica e fórmula matemática para estimativa da taxa de filtração glomerular em associação com urinálise para hematúria e/ou proteinúria.

Para aqueles com DRC estabelecida, a taxa de progressão da DRC deve ser avaliada de maneira seriada, iniciando na taxa de filtração glomerular (TFG) categoria G3a/G3b da doença. Os pacientes devem ser submetidos a rastreamento para anemia e distúrbios minerais ósseos pelo menos a cada 6 a 12 meses, com avaliação de hemoglobina, cálcio, fósforo e paratormônio (PTH) intacto. Para aqueles na categoria de TFG G4 da doença, a hemoglobina, o cálcio e o fósforo devem ser monitorados a cada 3 a 6 meses e o PTH intacto a cada 6 a 12 meses. Para os pacientes na categoria de TFG G5 da DRC, a anemia deve ser avaliada com hemoglobina mensalmente, a doença mineral óssea com cálcio e fósforo a cada 1 a 3 meses, e o PTH intacto a cada 3 a 6 meses. Os lipídios devem ser verificados anualmente para todos os pacientes com DRC.

O uso deste conteúdo está sujeito aos nossos avisos legais