Rastreamento

A abordagem atual aceita é a busca agressiva de casos com vigilância para as muitas manifestações prováveis da doença celíaca e um baixo limiar para a realização de teste sorológico. Talvez o grupo de maior preocupação seja crianças pequenas com um parente de primeiro grau com doença celíaca, pois o risco aproximado de 7% de doença celíaca é considerável e o atraso no diagnóstico tem o potencial de causar uma perda permanente no potencial de crescimento. Por essa razão, o teste sorológico pode ser considerado antes do início dos sintomas em crianças com risco. Ensaios clínicos randomizados bem desenhados não sugerem que o aleitamento materno ou o momento da introdução de glúten na dieta alterem o risco de doença celíaca em crianças com uma história familiar de doença celíaca.[93][94][95]

O uso deste conteúdo está sujeito ao nosso aviso legal