Diagnóstico diferencial

SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO
EXAME
SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO

Residência/viagem para um país/área ou território com transmissão local ou contato próximo com um caso confirmado, ou provável de COVID-19 nos 14 dias anteriores ao início dos sintomas.

Os sinais e sintomas são semelhantes, por isso pode ser difícil diferenciar clinicamente as condições.[99]

A situação está evoluindo com rapidez; consulte nosso tópico sobre COVID-19 para obter mais informações.

EXAME

Reação em cadeia da polimerase via transcriptase reversa (RT-PCR) em tempo real: positiva para RNA do SARS-CoV-2.

Não é possível diferenciar COVID-19 de outras causas de pneumonia na imagem do tórax.

SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO
EXAME
SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO

Além de tosse e febre, pode haver dor torácica pleurítica, dispneia e produção de expectoração que pode ser mucopurulenta.

EXAME

Radiografia torácica (RXT): um achado comum é a condensação lobar.

Hemocultura: positiva para organismo infeccioso.

Cultura de escarro: crescimento de organismo infeccioso.

SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO
EXAME
SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO

Causa mais comum de infecção do trato respiratório inferior em crianças com <1 ano.[100]

Uma causa também significativa e frequentemente não reconhecida de infecção do trato respiratório inferior em pacientes mais velhos e imunossuprimidos.[101]

Dá origem a sintomas do trato respiratório superior e inferior atingindo a intensidade máxima em 3-5 dias e remitindo em 7-10 dias.

Caracterizada por surtos sazonais. No hemisfério norte, elas geralmente ocorrem de novembro a abril, atingindo a intensidade máxima em janeiro ou fevereiro. No hemisfério sul, os surtos de inverno ocorrem de maio a setembro, atingindo a intensidade máxima em maio, junho ou julho. Em clima tropical e semitropical, os surtos sazonais estão geralmente associados à estação chuvosa.[102]

EXAME

Ensaios rápidos usando tecnologia de captura de antígeno que podem ser realizados em menos de 30 minutos já estão disponíveis. A sensibilidade e a especificidade da maioria desses testes excedem 90% e são a base do algoritmo do diagnóstico na maioria dos laboratórios clínicos, visto que a identificação por cultura pode levar de 4 dias a 2 semanas.[103]

SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO
EXAME
SINAIS / SINTOMAS DE DIFERENCIAÇÃO

Um patógeno respiratório importante em adultos e crianças; a segunda principal causa mais comum, depois do VSR, de infecções do trato respiratório inferior agudas em lactentes e crianças pequenas.[104]

Em adultos, geralmente causa leves infecções do trato respiratório superior, mas pode induzir infecções do trato respiratório inferior com risco de vida em pacientes imunocomprometidos.[105]

Os padrões sazonais da infecção por PIV nos EUA mudaram nas últimas décadas. Depois de 1962, PIV-1 e PIV-2 começaram a aparecer em epidemias e atualmente aparecem a cada 2 anos durante o outono. Em comparação, a PIV-3 ocorre em epidemias anuais na primavera, enquanto os padrões sazonais das infecções por PIV-4 têm sido difíceis de estabelecer, já que a doença é geralmente leve e o vírus é difícil de detectar. Em países em desenvolvimento e tropicais, os vírus parainfluenza não mostram variações sazonais.[106]

EXAME

A cultura de PIV a partir da nasofaringe ou do trato respiratório inferior ainda é o exame definitivo para o diagnóstico.[107]

A detecção rápida de antígeno por imunofluorescência e ensaio imunoenzimático (EIE) estão disponíveis, com sensibilidades relatadas de 75% a 95%.[108]

O teste sorológico também pode ser realizado, mas é demorado.

Agora, os testes de reação em cadeia da polimerase multiplex estão disponíveis e permitem a detecção de vários vírus respiratórios com sensibilidade relatada de 95% a 100%, com excelente especificidade.[109]

O uso deste conteúdo está sujeito aos nossos avisos legais