Critérios

Classificação da Organização Mundial da Saúde (OMS)[65]

Estágio 1

  • Síndrome da soroconversão aguda: não há definição de caso atual para a doença da soroconversão aguda, embora uma síndrome viral aguda nos estágios precoces do vírus da imunodeficiência humana (HIV) seja bem reconhecida. A infecção primária geralmente se apresenta no primeiro mês de exposição ao HIV e comumente se manifesta com febre e linfadenopatia. Outros sintomas e sinais clínicos devem incluir faringite, exantema maculopapular, úlceras orogenitais ou meningoencefalite. Outras infecções oportunistas podem ocorrer, em virtude da linfopenia transitória. A contagem de CD4 pode diminuir drasticamente. O diagnóstico é estabelecido com base na observação do surgimento de um anticorpo anti-HIV (testes rápidos seriais ou ELISA, ou pela percepção da presença do HIV utilizando-se HIV-RNA ou HIV-DNA e/ou antígeno p24 do HIV ultrassensível com uma ausência de anticorpo anti-HIV).[4][21]

  • Linfadenopatia generalizada persistente (linfonodos aumentados indolores em 2 ou mais locais não contíguos de >1 cm por >3 meses).

  • Assintomático, ou seja, sem sintomas relatados que possam estar relacionados a HIV/AIDS.

  • Capacidade funcional 1 (completamente ativo ou assintomático).

Estágio 2

  • Perda de peso inferior a 10% do peso corporal

  • Herpes-zóster

  • Manifestações mucocutâneas menores

  • Infecções recorrentes do trato respiratório superior

  • Capacidade funcional 2 (sintomático, mas quase completamente ativo).

Estágio 3

  • Perda de peso de mais de 10% do peso corporal

  • Diarreia crônica por mais de 1 mês

  • Febre prolongada por mais de 1 mês

  • Cândida oral, candidíase vaginal crônica

  • Leucoplasia pilosa oral

  • Infecções bacterianas graves

  • Tuberculose pulmonar (TB)

  • Capacidade funcional 3 (no leito menos que 50% do último mês).

Estágio 4

  • Tuberculose extrapulmonar

  • Pneumonia por Pneumocystis jirovecii

  • Meningite criptocócica

  • Úlcera causada pelo vírus do herpes simples por mais de 1 mês

  • Candidíase esofagiana ou pulmonar

  • Toxoplasmose

  • Criptosporidiose

  • Isosporíase

  • Citomegalovírus

  • Síndrome de emaciação por infecção pelo HIV

  • Encefalopatia pelo HIV

  • Sarcoma de Kaposi

  • Leucoencefalopatia multifocal progressiva

  • Micose disseminada

  • Micobacteriose atípica

  • Bacteremia não tifoide por salmonela

  • Linfoma

  • Pneumonia recorrente

  • Carcinoma cervical invasivo

  • Capacidade funcional 4 (confinado ao leito mais de 50% do tempo).

Doença por HIV avançada[72]

  • Contagem de CD4 <200 células/mm³, ou evento de estágio 3 ou 4 à apresentação em adultos, adolescentes e crianças ≥5 anos de idade. Todas as crianças <5 anos de idade devem ser consideradas como tendo doença avançada à apresentação.

  • Adultos ou adolescentes gravemente doentes: frequência respiratória ≥30 respirações por minuto, frequência cardíaca ≥120 bpm, incapaz de caminhar sem auxílio ou temperatura corporal ≥39 °C.

  • Criança gravemente doente: letargia ou inconsciência, convulsões, incapaz de beber/mamar, vômitos repetidos, taquicardia ou taquipneia, ou temperatura corporal ≥39 °C.

  • Gravemente imunossuprimido: celularidade CD4 <50 células/mm³.

Gravidade de casos de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA[64]

Note que a contagem de linfócitos T CD4+ tem precedência sobre a porcentagem de linfócitos T CD4+ na infecção por HIV nos estágios 1, 2 e 3. A porcentagem de linfócitos T CD4+ só deverá ser considerada se a contagem estiver ausente.

Infecção por HIV, estágio 0

  • Indica infecção por HIV em estágio inicial, inferida a partir de um teste de HIV negativo ou indeterminado dentro de 180 dias de um resultado positivo. Os critérios para o estágio 0 substituem e são independentes dos critérios usados para outros estágios.

Infecção por HIV, estágio 1 (≥6 anos)

  • Confirmação laboratorial de infecção por HIV sem afecção definidora de AIDS, e

    • contagem de linfócitos T CD4+ de ≥500 células/microlitro, ou

    • porcentagem de linfócitos T CD4+ de ≥26% dos linfócitos totais.

Infecção por HIV, estágio 2 (≥6 anos)

  • Confirmação laboratorial de infecção por HIV sem afecção definidora de AIDS, e

    • contagem de linfócitos T CD4+ de 200 a 499 células/microlitro, ou

    • porcentagem de linfócitos T CD4+ de 14% a 25% dos linfócitos totais.

Infecção por HIV, estágio 3 (AIDS; ≥6 anos)

  • Confirmação laboratorial de infecção por HIV, e

    • contagem de linfócitos T CD4+ <200 células/microlitro, ou

    • porcentagem de linfócitos T CD4+ de <14% dos linfócitos totais ou

    • documentação de uma afecção definidora de AIDS.

    A documentação de uma afecção definidora de AIDS substitui uma contagem de linfócitos T CD4+ de >200 células/microlitro e uma porcentagem de linfócitos T CD4+ de >14% dos linfócitos totais.

Infecção por HIV, estágio desconhecido

  • Confirmação laboratorial de infecção por HIV, e

    • Sem informação sobre contagem ou porcentagem de linfócitos T CD4+, e

    • Sem informação sobre a presença de afecções definidoras de AIDS.

Doenças oportunistas que definem estágio 3 na infecção por HIV

  • Infecções bacterianas, múltiplas ou recorrentes (apenas entre crianças com <6 anos de idade)

  • Candidíase nos brônquios, na traqueia e nos pulmões

  • Candidíase do esôfago

  • Câncer cervical, invasivo (apenas entre adultos, adolescentes e crianças com ≥6 anos de idade)

  • Coccidioidomicose, disseminada ou extrapulmonar

  • Criptococose, extrapulmonar

  • Criptosporidiose, crônica intestinal (>1 mês de duração)

  • Doença por citomegalovírus (em localização que não seja fígado, baço ou linfonodos), apresentação inicial com >1 mês

  • Retinite por citomegalovírus (com perda de visão)

  • Encefalopatia, relacionada ao HIV

  • Herpes simples: úlceras crônicas (>1 mês de duração) ou bronquite, pneumonite ou esofagite (apresentação inicial com idade >1 mês)

  • Histoplasmose, disseminada ou extrapulmonar

  • Isosporíase, crônica intestinal (>1 mês de duração)

  • Sarcoma de Kaposi

  • Linfoma de Burkitt (ou termo equivalente)

  • Linfoma imunoblástico (ou termo equivalente)

  • Linfoma primário do cérebro

  • Complexo Mycobacterium avium ou Mycobacterium kansasii, disseminado ou extrapulmonar

  • Mycobacterium tuberculosis de qualquer local, pulmonar (apenas entre adultos, adolescentes, e crianças com ≥6 anos de idade), disseminado ou extrapulmonar

  • Mycobacterium avium, outras espécies ou espécies não identificadas, disseminado ou extrapulmonar

  • Pneumonia por Pneumocystis jirovecii

  • Pneumonia recorrente (apenas entre adultos, adolescentes e crianças com ≥6 anos de idade)

  • Leucoencefalopatia multifocal progressiva

  • Septicemia por salmonela, recorrente

  • Toxoplasmose cerebral, apresentação inicial com >1 mês

  • Síndrome de emaciação atribuída ao HIV.

Perfis de evolução da doença

Evolução rápida: uma pequena proporção de indivíduos desenvolve AIDS em um período de 1 a 2 anos. Essa evolução rápida está associada a altos níveis de replicação viral e a um declínio súbito nos números de CD4.

Controladores em longo prazo: uma proporção pequena de indivíduos consegue controlar a carga viral do HIV sem auxílio da terapia antirretroviral. Muitos apresentam cargas virais baixas ou não detectáveis e contagens de CD4 bem preservadas por muitos anos. Isso parece ocorrer em parte devido a uma imunidade robusta contra o HIV.

O uso deste conteúdo está sujeito aos nossos avisos legais