Diagnóstico diferencial

História
Exame
1° exame
Outros exames

início insidioso de desconforto ocular; paciente pode descrever irritação ocular localizada; não há presença de secreção

pode-se observar cílio/grupo de cílios aberrante; coloração corneal com fluoresceína observada; acuidade visual e reações pupilares normais

  • diagnóstico clínico:

    nenhum exame inicial

    Mais
    História
    Exame
    1° exame
    Outros exames

    início súbito de desconforto ocular conforme a pálpebra se vira para dentro; pode fazer com que os cílios friccionem a córnea, causando irritação localizada e lacrimejamento

    a pálpebra inferior pode estar virada para dentro; coloração com fluoresceína pode estar presente se os cílios estiverem friccionando a córnea; acuidade visual e reações pupilares normais

    • exame em clínica especializada:

      Para determinar a causa subjacente: involucional, cicatricial ou congênita (criança).

      Mais
      História
      Exame
      1° exame
      Outros exames

      o paciente pode relatar irritação e desconforto ocular com lacrimejamento associado; não há secreção

      pode-se observar a pálpebra inferior se afastando do globo; nenhuma coloração com fluoresceína observada; acuidade visual e reações pupilares normais

      • exame em clínica especializada:

        Para determinar a causa subjacente: involucional, cicatricial ou paralítica.

        Mais
        História
        Exame
        1° exame
        Outros exames

        o paciente pode relatar uma sensação intermitente de corpo estranho, de ardência ou de areia nos olhos; muitas vezes os sintomas pioram pela manhã, mas podem se intensificar a qualquer momento; não há presença de secreção

        crostas inflamadas nas margens das pálpebras; acuidade visual e reações pupilares normais; nenhuma coloração com fluoresceína visível

        • diagnóstico clínico:

          nenhum exame inicial

          Mais
          História
          Exame
          1° exame
          Outros exames

          o paciente pode relatar irritação, ardência, sensação de corpo estranho ou desconforto ocular inespecífico; fotofobia e secreção pegajosa também podem ser descritas

          a acuidade visual pode estar afetada; a vasculatura ocular pode parecer ingurgitada, pode haver presença de coloração com rosa bengala; pode-se observar secreção pegajosa

          • diagnóstico clínico:

            nenhum exame inicial

            Mais
            História
            Exame
            1° exame
            Outros exames

            o paciente pode relatar inicialmente sensação de corpo estranho, que evolui para fotofobia, visão turva, dor e secreção; as pálpebras também podem inchar

            acuidade visual reduzida, muitas vezes hiperemia conjuntival intensa; pálpebra edemaciada ou secreção pode ser visível; coloração corneal com fluoresceína observada; a úlcera pode ser bacteriana, viral ou fúngica

            • raspagem da córnea para cultura e sensibilidade por microscopia:

              positivos em causa bacteriana ou fúngica

              Mais
              História
              Exame
              1° exame
              Outros exames

              usuários de lente de contato inicialmente podem relatar a sensação de um corpo estranho, que evolui para fotofobia, visão turva, dor e secreção; as pálpebras também podem inchar

              acuidade visual reduzida; hiperemia conjuntival intensa pode estar presente; pálpebra edemaciada ou secreção pode ser visível; coloração corneal com fluoresceína observada

              • raspagem da córnea para cultura e sensibilidade por microscopia:

                positivos em causa bacteriana ou fúngica

                Mais
                História
                Exame
                1° exame
                Outros exames

                dor com queimação ou ardência na divisão oftálmica do dermátomo do nervo trigêmeo; rash eritematoso maculopapular, que se desenvolve em vesículas transparentes; dor ocular; mais comum em pacientes imunossuprimidos

                acuidade visual reduzida; úlcera corneana; células da câmara anterior na biomicroscopia com lâmpada de fenda; sinal de Hutchinson (erupção cutânea que envolve o lado, a ponta ou a raiz do nervo) indica aumento do risco de inflamação ocular[21]

                • diagnóstico clínico:

                  nenhum exame inicial

                  Mais
                • swab viral:

                  positivo para DNA do varicela-zóster

                História
                Exame
                1° exame
                Outros exames

                o paciente pode relatar dor intensa, secreção, fotofobia, lacrimejamento aumentado; as pálpebras também podem inchar

                úlcera da córnea que pode ser bacteriana, viral ou fúngica; acuidade visual reduzida; pálpebra edemaciada e secreção podem ser visíveis

                • raspagem da córnea para cultura e sensibilidade por microscopia:

                  positivos em causa bacteriana ou fúngica

                  Mais
                  História
                  Exame
                  1° exame
                  Outros exames

                  uma sensação de corpo estranho progredindo para uma fotofobia e dor pode ser relatada; a sensação é frequentemente precedida por uma rajada de vento ou segue-se a uso de equipamentos de martelagem ou de polir/triturar

                  pode-se observar o corpo estranho na córnea, sob a pálpebra inferior ou no fórnice inferior; acuidade visual e reações pupilares normais

                  • exame de imagem com tomografia computadorizada (TC) das órbitas:

                    corpo estranho intraocular pode estar presente

                    Mais
                    História
                    Exame
                    1° exame
                    Outros exames

                    início agudo do desconforto ocular; pode ser precedido por uma história de trauma leve

                    acuidade visual reduzida; reações pupilares normais; hiperemia conjuntival com coloração corneal com fluoresceína observada em um único olho; a pálpebra pode estar edemaciada; não há secreção

                    • diagnóstico clínico:

                      nenhum exame inicial

                      Mais
                      História
                      Exame
                      1° exame
                      Outros exames

                      frequentemente visão reduzida; pequena partícula de corpo estranho no olho, geralmente causada por rajada de vento de baixa velocidade; sensação persistente e intensa de coceira causada pelo corpo estranho piorando ao piscar; lacrimejamento frequentemente profuso; não há secreção

                      acuidade visual possivelmente reduzida; hiperemia da conjuntiva, frequentemente localizada; corpo estranho visível na conjuntiva na eversão das pálpebras (superior e inferior), frequentemente melhor visualizado com corante fluorescente; correspondendo a abrasões da córnea lineares e finas; respostas pupilares normais

                      • diagnóstico clínico com corante fluorescente:

                        positivo com corante fluorescente

                        Mais
                        História
                        Exame
                        1° exame
                        Outros exames

                        história de exposição a alérgenos (pode incluir medicamentos oculares tópicos); possível recorrência sazonal ou sintomas atópicos associados (primaveril); início rápido após a exposição; prurido; secreção pegajosa e aquosa

                        acuidade visual normal; hiperemia conjuntiva difusa; quemose (abaulamento da camada clara/avermelhada da conjuntiva com líquido abaixo dela, frequentemente descrito como uma geleia no branco do olho); papilas finas aveludadas sobre a conjuntiva tarsal, podem desenvolver um aspecto pavimentoso gigante (primaveril); córnea clara, não há coloração por fluoresceína; eritema e edema para as pálpebras; resposta pupilar normal; não há linfonodos pré-auriculares palpáveis

                        • diagnóstico clínico:

                          nenhum exame inicial

                          Mais
                          História
                          Exame
                          1° exame
                          Outros exames

                          desconforto, sensação de corpo estranho, secreção purulenta (se grave, considerar etiologia gonocócica); inicialmente unilateral, tornando-se bilateral; eritema e edema da pálpebra; visão minimamente afetada ou não afetada; não há prurido

                          hiperemia conjuntival difusa; secreção mucoide ou purulenta; córnea clara, não há coloração por fluoresceína; acuidade visual e resposta pupilar normais

                          • swabs conjuntivais para cultura e sensibilidade por microscopia, incluindo Chlamydia:

                            positiva

                            Mais
                            História
                            Exame
                            1° exame
                            Outros exames

                            desconforto, sensação de corpo estranho, lacrimejamento (não purulento); geralmente profuso; inicialmente unilateral, tornando-se bilateral; sintomas associados de infecção do trato respiratório superior; histórico de contato recente com alguém que apresentava olho vermelho; visão minimamente afetada ou não afetada

                            hiperemia conjuntival difusa; folículos na conjuntiva tarsal; córnea clara inicialmente, possibilidade de pequenas manchas de infiltrados subepiteliais se desenvolverem de 2 a 3 semanas após o início; ocasionalmente surgem linfonodos pré-auriculares palpáveis; não há coloração corneal por fluoresceína; acuidade visual e respostas pupilares normais

                            • swabs conjuntivais para cultura e sensibilidade por microscopia, incluindo Chlamydia:

                              positivos em causa bacteriana ou fúngica

                              Mais
                              História
                              Exame
                              1° exame
                              Outros exames

                              espontânea; histórico ocasional de manobra de Valsalva, tosse ou espirro, ou levantamento de peso; geralmente assintomática; ocasionalmente leve desconforto ou sensação de estalos no início; possível associação com hipertensão sistêmica ou medicamento anticoagulante

                              área bem circunscrita de sangramento confluente sob a conjuntiva (caso a borda posterior não possa ser observada, pode originar-se de um sangramento intracraniano, o que justifica o encaminhamento imediato ao setor de emergências),[23] geralmente setorial; córnea clara, não há coloração por fluoresceína; acuidade visual e resposta pupilar normais; possível hipertensão sistêmica; pressão arterial deve ser medida em todos os pacientes e tratada de acordo com as diretrizes[24]

                              • diagnóstico clínico:

                                nenhum exame inicial

                                Mais
                                História
                                Exame
                                1° exame
                                Outros exames

                                dor ocular grave frequentemente associada com vômitos; visão turva e halos ao redor de fontes de luzes; o histórico ocular, médico e de medicamentos do paciente deve ser analisado para excluir qualquer associação conhecida

                                acuidade visual reduzida; córnea turva e fixa, pupila de forma oval semidilatada; na palpação digital leve o globo parece duro

                                • medição da pressão intraocular:

                                  pressão intraocular elevada

                                  Mais
                                  História
                                  Exame
                                  1° exame
                                  Outros exames

                                  desconforto, sensação de corpo estranho, secreção de muco, frequentemente profusa; geralmente de início unilateral, tornando-se bilateral; sintomas crônicos, apesar do uso de antibióticos tópicos; raramente associada aos sintomas de inflamação e secreção do trato geniturinário; visão minimamente afetada ou não afetada; não há prurido ou é mínimo

                                  hiperemia conjuntival difusa; grandes folículos na conjuntiva tarsal; córnea clara, não há coloração por fluoresceína; acuidade visual e resposta pupilar normais

                                  • swab conjuntival/raspagem especificamente para Chlamydia:

                                    positiva

                                    Mais
                                    História
                                    Exame
                                    1° exame
                                    Outros exames

                                    parto natural, apresentação até 1 mês após o nascimento; secreção mucoide ou purulenta, frequentemente profusa, geralmente bilateral; ocasionalmente associada a sintomas de inflamação ou secreção geniturinários presentes na mãe

                                    hiperemia conjuntival difusa; secreções purulentas; córnea clara, não há coloração por fluoresceína; resposta pupilar normal; reação folicular da conjuntiva tarsal não ocorre em neonatos, mesmo com infecção por clamídia

                                    • swabs conjuntivais para cultura e sensibilidade por microscopia, incluindo clamídia:

                                      positivo clamídia

                                      Mais
                                      História
                                      Exame
                                      1° exame
                                      Outros exames

                                      identificação da natureza, força e tempo da lesão, principalmente com pequenos fragmentos de alta velocidade (por exemplo, produzidos pela batida de metal em metal ou ferramentas elétricas); geralmente visão reduzida; dor desde o início, pode ser pequeno

                                      acuidade visual reduzida; hiperemia conjuntival; hemorragia subconjuntival, geralmente extensa; laceração da córnea ou da conjuntiva no local de entrada com possível prolapso do tecido uveal (tecido de pigmentação escura); câmara anterior rasa (espaço entre a córnea e a íris) comparada ao outro olho; hifema (sangue na câmera anterior); pupila irregular; catarata; reflexo vermelho reduzido; associado a lesões na pálpebra e no rosto

                                      • tomografia computadorizada (TC) de crânio/órbitas:

                                        observação do corpo estranho radiopaco

                                        Mais
                                        História
                                        Exame
                                        1° exame
                                        Outros exames

                                        histórico de instilação de irritantes químicos; detalhes exatos do momento, duração, pH e constituintes do químico são vitais, assim como qualquer tratamento fornecido agudamente; geralmente visão reduzida; dor desde o início, pode ser grave; lacrimejamento, geralmente profuso

                                        acuidade visual possivelmente reduzida; hiperemia da conjuntiva, áreas de palidez podem indicar queimadura severa; partículas podem ser observadas e retiradas dos fórnices na eversão da pálpebra; corante fluorescente epitelial para conjuntiva e córnea; névoa na córnea obscurecendo detalhes da íris, se grave; eritema, edema e queimaduras da pálpebra; resposta pupilar normal

                                        • pH do filme lacrimal:

                                          pH = 7 em filme lacrimal normal; portanto, pode ser elevado em lesão por álcali e diminuído em lesão por ácido

                                          História
                                          Exame
                                          1° exame
                                          Outros exames

                                          início agudo da vermelhidão e da dor; geralmente o paciente descreve a vermelhidão em uma área específica do olho e pode ter notado um pequeno nódulo adjacente a essa área; não há secreção; o paciente pode ter artrite reumatoide, granulomatose com poliangiíte (antes conhecida como granulomatose de Wegener) ou lúpus eritematoso sistêmico associadas de forma subjacente

                                          vermelhidão setorial em um ou nos dois olhos; um nódulo pode estar presente sobre a área; não há coloração com fluoresceína; acuidade visual e reações pupilares normais

                                          • Hemograma completo:

                                            os resultados dependem da causa subjacente

                                            Mais
                                          • ureia e eletrólitos:

                                            os resultados dependem da causa subjacente

                                            Mais
                                          • velocidade de hemossedimentação:

                                            elevada em doenças inflamatórias

                                            Mais
                                          • proteína C-reativa:

                                            elevada em doenças inflamatórias

                                            Mais
                                          • fator reumatoide:

                                            positivo em alguns pacientes com artrite reumatoide, lúpus eritematoso sistêmico

                                            Mais
                                          • anticorpo anticitoplasma de neutrófilo-c (ANCA-c):

                                            positivo na granulomatose com poliangiite (anteriormente conhecida como granulomatose de Wegener)

                                            Mais
                                            História
                                            Exame
                                            1° exame
                                            Outros exames

                                            dor ocular intensa e vermelhidão (características proeminentes); não há secreção; redução da acuidade visual pode estar presente, história médica pregressa deve ser revisada em busca de associações sistêmicas conhecidas, como doenças do tecido conjuntivo incluindo artrite reumatoide, granulomatose com poliangiíte (antes conhecida como granulomatose de Wegener), lúpus eritematoso sistêmico e policondrite recidivante

                                            ingurgitamento profundo dos vasos esclerais e dor na palpação ocular; não há coloração por fluoresceína; a acuidade visual e as reações pupilares podem ser anormais dependendo da posição da esclerite no globo (anterior ou posterior)

                                            • Hemograma completo:

                                              os resultados dependem da causa subjacente

                                              Mais
                                            • ureia e eletrólitos:

                                              os resultados dependem da causa subjacente

                                              Mais
                                            • velocidade de hemossedimentação:

                                              elevada em doenças inflamatórias

                                              Mais
                                            • proteína C-reativa:

                                              elevada em doenças inflamatórias

                                              Mais
                                            • fator reumatoide:

                                              positivo em alguns pacientes com artrite reumatoide, lúpus eritematoso sistêmico

                                              Mais
                                            • anticorpo anticitoplasma de neutrófilo-c (ANCA-c):

                                              positivo na granulomatose com poliangiite (anteriormente conhecida como granulomatose de Wegener)

                                              Mais
                                              História
                                              Exame
                                              1° exame
                                              Outros exames

                                              dor e fotofobia no olho afetado; dependendo da gravidade, a dor pode ser exacerbada quando o paciente realizar atividade de leitura ou uma tarefa próxima aos olhos; histórico de episódios similares; o histórico médico pregresso deve ser analisado para qualquer associação conhecida, como pacientes com resultado positivo para o complexo de histocompatibilidade HLA-B27, tuberculose, sífilis, doença de Lyme, sarcoidose, doença de Behçet e artrite pauciarticular juvenil crônica

                                              a acuidade visual pode estar reduzida; padrão de rubor ciliar de vermelhidão no olho afetado; a análise criteriosa da córnea a da câmara anterior pode mostrar a presença de precipitados ceráticos (agregados celulares na superfície interna da córnea), células inflamatórias e turvação (aumento do conteúdo proteico dentro da câmara anterior permitindo a visualização do feixe de luz dentro do humor aquoso) e, em casos graves, presença de um hipópio; a borda pupilar pode parecer irregular e de reações anormais se sinéquias posteriores (adesão da íris à cápsula da lente) estiverem presentes

                                              • Hemograma completo:

                                                os resultados dependem da causa subjacente

                                                Mais
                                              • ureia e eletrólitos:

                                                os resultados dependem da causa subjacente

                                                Mais
                                              • proteína C-reativa:

                                                elevada em doenças inflamatórias e infecciosas

                                                Mais
                                              • sorologia para sífilis:

                                                positivo para sífilis

                                                Mais
                                              • enzima conversora de angiotensina:

                                                elevada na sarcoidose

                                                Mais
                                              • complexo de histocompatibilidade HLA-B27:

                                                positivo para pacientes afetados

                                                Mais
                                              • triagem de autoanticorpos:

                                                positiva de acordo com a doença autoimune subjacente

                                                Mais

                                                O uso deste conteúdo está sujeito aos nossos avisos legais