Prognóstico

Cerca de 53% dos pacientes com infecção confirmada pelo vírus H5N1 da influenza aviária A altamente patogênica (IAAP) notificados à Organização Mundial da Saúde (OMS) faleceram desde 2003.[26] Aqueles que tiveram doença progressiva geralmente morreram em decorrência de complicações da síndrome do desconforto respiratório aguda (SDRA) e insuficiência de múltiplos órgãos. O reconhecimento precoce da doença e o início precoce do tratamento com oseltamivir podem estar associados a desfechos melhores. A presença de rinorreia parece indicar um melhor prognóstico para crianças com H5N1 da IAAP.[24]

O manejo deve seguir as diretrizes de cuidados clínicos baseadas em evidências para SDRA, choque séptico e outras doenças de cuidados intensivos. Nenhum estudo avaliou as sequelas em longo prazo da infecção entre os sobreviventes, mas a maioria dos sobreviventes apresentou somente uma doença leve.

O uso deste conteúdo está sujeito aos nossos avisos legais