Epidemiologia

As cepas do vírus H5N1 da influenza aviária altamente patogênica (IAAP) infectaram aves de criação ou pássaros selvagens em mais de 50 países desde 2003. Dezesseis países relataram a detecção de casos de infecção pelo vírus H5N1 da IAAP em humanos desde 2003. Entre 2003 e 2018, 860 casos foram relatados, com 454 mortes (aproximadamente 53% de taxa de mortalidade).[26]

WHO: cumulative number of confirmed human cases of avian influenza A(H5N1) reported to WHO external link opens in a new window

A maioria dos casos de H5N1 da IAAP em humanos ocorreu com adultos jovens e crianças anteriormente saudáveis. A idade mediana dos pacientes é de aproximadamente 20 anos, com uma faixa etária para todos os pacientes indo de menos de 1 ano até 81 anos.[27] A proporção de casos entre homens e mulheres é praticamente igual; no entanto, há uma taxa de letalidade maior em mulheres, que pode ser decorrente de muitos fatores epidemiológicos diferentes, como atraso no acesso aos serviços de saúde, idade e padrões de teste dos médicos.[18] De 2003 a 2010, os pacientes com menos de 20 anos de idade apresentaram um risco significativamente mais baixo de óbito, se comparados aos com idade acima de 20 anos (taxas de letalidade: 52% vs. 66%).[18] A mortalidade está associada a um reconhecimento da doença e hospitalização tardios após o início dos sintomas.[18] Um estudo relatou que a presença de rinorreia parece indicar um melhor prognóstico para crianças com H5N1 da IAAP.[24]

Em janeiro de 2014, o Canadá relatou um caso humano de H5N1 da IAAP em uma pessoa que viajou da China para o Canadá, onde foi hospitalizada, tendo falecido posteriormente.[28] Embora não haja nenhuma indicação de que a infecção foi adquirida dentro da América do Norte, esse caso destaca que os médicos devem permanecer vigilantes para infecções por vírus da influenza, incluindo H5N1 da IAAP e outros novos vírus da influenza A, em pacientes gravemente doentes. Ainda em 2014, a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) relatou ter havido pelo menos 6 países com circulação endêmica do vírus H5N1 da IAAP entre as populações de aves: Bangladesh, República Popular da China, Egito, Índia, Indonésia e Vietnã, com surtos esporádicos em aves em outros países.[29] Até o momento, as cepas dos vírus H5N1 da IAAP não foram detectadas em aves domésticas nas Américas do Norte e do Sul, embora os vírus H5N1 da IAAP antigenicamente distintos não associados a infecção em humanos tenham sido identificados em aves nos EUA.[30]

O uso deste conteúdo está sujeito aos nossos avisos legais