Caso clínico

Caso clínico

Um homem de 60 anos de idade apresenta início agudo de dispneia, febre e tosse. A radiografia torácica exibe um infiltrado no lobo inferior direito e o escarro tem diplococos Gram-positivos. Ele recebe antibióticos intravenosos, mas seu estado respiratório se deteriora ao longo de 24 horas. Ele se torna hipotenso e é transferido para a unidade de terapia intensiva (UTI). Ele é intubado devido à hipoxemia e requer vasopressores para o choque séptico, apesar da ressuscitação volêmica adequada. Ele precisa de altos níveis de oxigênio inspirado (FiO₂) e pressão expiratória final positiva (PEEP) na ventilação mecânica para manter sua saturação de oxigênio >90%. A repetição da radiografia torácica revela infiltrados alveolares bilaterais e sua razão pressão arterial de oxigênio (PaO₂)/FiO₂ é de 109.

O uso deste conteúdo está sujeito aos nossos avisos legais