Critérios

Há várias ferramentas de decisão validadas usadas para o diagnóstico de apendicite. Elas incluem os escores de Alvarado, AIR e RIPASA.

O escore de Alvarado é comumente usado e já foi submetido a estudos de validação. O escore AIR apresentou bons resultados em uma revisão sistemática de regras de predição clínica. O escore RIPASA foi mais sensível que o escore de Alvorado, com melhores razões de chances diagnósticas, mas com menor especificidade.[27][28]

Índice de Alvarado (MANTRELS)[26]

O índice baseia-se nas características clínicas dos pacientes. Quanto mais alto o índice, com um máximo de 10, maior a chance de ter apendicite aguda.

M: Migração da dor para o quadrante inferior direito = 1 ponto.

A: Anorexia = 1 ponto.

N: Náuseas e vômitos = 1 ponto

T: Sensibilidade no quadrante inferior direito = 2 pontos.

R: Dor à descompressão brusca = 1 ponto.

E: Temperatura elevada = 1 ponto.

L: Leucocitose = 2 pontos.

S: Desvio da contagem leucocitária para a esquerda = 1 ponto.

Escore da resposta inflamatória da apendicite (Appendicitis Inflammatory Response [AIR])[55]

Vômitos = 1 ponto.

Dor na fossa inferior direita = 1 ponto.

Dor à descompressão brusca: leve = 1 ponto; média = 2 pontos; intensa = 3 pontos.

Temperatura corporal ≥38.5 = 1 ponto.

Leucócito polimorfonuclear: 70% a 84% = 1 ponto; ≥85% = 2 pontos.

Contagem leucocitária: 10.0 a 14.9 ×10⁹/L = 1 ponto; ≥15.0 ×10⁹/L = 2 pontos.

Concentração de proteína C-reativa: 10 mg/L a 49 mg/L = 1 ponto; ≥50 = 2 pontos.

(Máximo de 12 pontos.)

Soma 0 a 4 = probabilidade baixa. Acompanhamento ambulatorial, se a condição geral não for alterada.

Soma 5 a 8 = grupo indeterminado. Observação ativa de pacientes internados com nova classificação/exame de imagem ou laparoscopia diagnóstica, de acordo com as tradições locais.

Soma 9 a 12 = alta probabilidade. A exploração cirúrgica é proposta.

Escore RIPASA para apendicite aguda[56]

Quanto mais alto o índice, com um máximo de 16, maior a chance de ter apendicite aguda. O escore foi desenvolvido para populações asiáticas.

Mulher = 0.5 ponto.

Homem = 1 ponto.

Idade <39.9 anos = 1 ponto.

>40 anos de idade = 0.5 ponto.

Dor na fossa ilíaca direita = 0.5 ponto.

Migração da dor para a fossa ilíaca direita = 0.5 ponto.

Anorexia = 1 ponto.

Náuseas e vômitos = 1 ponto.

Duração dos sintomas <48 horas = 1 ponto.

Duração dos sintomas >48 horas = 0.5 ponto.

Sensibilidade na fossa ilíaca direita = 1 ponto.

Rigidez = 2 pontos.

Dor à descompressão brusca = 1 ponto.

Sinal de Rovsing = 2 pontos.

Febre = 1 ponto.

Leucócitos elevados = 1 ponto.

Análise da urina negativa = 1 ponto.

(Máximo de 16 pontos.)

Índice de avaliação de fisiologia aguda e doença crônica II (APACHE II)[57]

O índice APACHE é comumente usado para estabelecer a gravidade da doença na unidade de terapia intensiva (UTI) e prever o risco de morte.[ Sistema de escore APACHE II ] Há um alto risco de morte se o índice for 25 ou superior.

Há vários outros modelos que foram desenvolvidos para uso na UTI, inclusive o APACHE III, Escore de Mortalidade por Sepse no Pronto-Socorro, Escore Fisiológico Agudo Simplificado, Escore de Determinação de Falência Orgânica Relacionada à Sepse e Modelo de Probabilidade de Morte II.[58][59][60]

O uso deste conteúdo está sujeito aos nossos avisos legais