Prevenção primária

A disseminação para terceiros pode ser limitada por medidas físicas, como lavar as mãos, tapar a boca e o nariz ao espirrar ou tossir, descartar de modo eficiente os lenços com as secreções nasais e não ir ao trabalho ou à escola. Não existem evidências para embasar o uso de máscaras faciais.'[16][17][18][19]

Suplementos

  • Vitamina C: ficou comprovado que a suplementação com vitamina C não tem nenhum benefício na prevenção dos resfriados.[20][21]

  • Vitamina D: a deficiência de vitamina D pode estar associada a uma maior duração das infecções respiratórias agudas, mas seu efeito sobre a incidência e gravidade entre adultos saudáveis permanece inconclusivo.[22] Estudos revelaram que a suplementação com vitamina D3 não previne infecções do trato respiratório superior em crianças ou adultos, mesmo em doses altas.[23][24]

  • Zinco: nenhuma recomendação segura pode ser feita com relação à suplementação profilática de zinco em virtude da falta de dados. A suplementação de zinco mostrou prevenir até metade dos episódios de resfriado comum em crianças saudáveis <10 anos de idade. No entanto, essa eficácia não foi observada em adultos saudáveis, mesmo quando uma dose mais alta foi usada.[25] Suplementos orais de zinco podem ser úteis em crianças que vivem em regiões (tais como em países em desenvolvimento) onde se sabe que há alta prevalência de deficiência de zinco.[26]

  • Equinácea: as evidências para a equinácea profilática são inconclusivas.[27]

Prevenção secundária

Deve-se evitar contato com o muco ou catarro nasal de indivíduos com resfriado comum. As mãos devem ser lavadas antes de comer ou antes de tocar a região nasal, ocular ou oral. O fato de evitar contato com outros indivíduos com resfriado comum, especialmente durante os primeiros dias da doença, reduz a chance de disseminação contagiosa.[16]

O uso deste conteúdo está sujeito ao nosso aviso legal