Caso clínico

Caso clínico

Uma menina branca de 12 anos chega ao pronto-socorro levada pelos pais depois de 12 horas de náuseas, vômitos, dor abdominal e letargia com rápida progressão. Na última semana, ela sentiu muita sede e urinou muito. O exame físico revela uma menina magra e desidratada com taquipneia, taquicardia e sem resposta aos comandos verbais.

Outras apresentações

A taxa de destruição das células beta varia no diabetes do tipo 1. Em alguns pacientes, pode ocorrer uma lenta destruição que leva ao início gradual de sintomas que clinicamente não podem ser diferenciados do diabetes do tipo 2. Quando a manifestação inicial do diabetes do tipo 1 ocorre na idade adulta, alguns a chamam de diabetes autoimune latente do adulto (LADA). É útil diferenciar o LADA do diabetes do tipo 2, pois os pacientes com LADA geralmente precisam de insulinoterapia. Os elementos que sugerem a presença de LADA em vez de diabetes do tipo 2 incluem 2 ou mais dos seguintes fatores: idade de início inferior a 50 anos, sintomas agudos, índice de massa corporal (IMC) inferior a 25 kg/m² e história pessoal ou familiar de doença autoimune.[2]

O uso deste conteúdo está sujeito aos nossos avisos legais