Evidência

Tabelas de evidência

Esta tabela é um sumário da análise reportada em uma diretriz (apoiada por uma revisão sistemática) que se foca na importante questão clínica acima.


A confiança nas evidências é muito baixa ou baixa quando GRADE foi realizado e a intervenção pode ser mais eficaz/benéfica que a comparação para os desfechos principais. No entanto, isso é incerto, e novas evidências podem mudar esse cenário no futuro.


População:Gestantes com diabetes gestacional ᵃ

Intervenção:Controle mais rígido da glicose

Comparação:Controle menos rígido da glicose

DesfechoEficácia (classificação do BMJ)?Confiança na evidência (GRADE)?

Glicemia de jejum <5.3 mmol/L versus ≥5.3 mmol/L em mulheres com diabetes gestacional

Pré-eclâmpsia

Intervenção favorável

Muito baixo

Grande para a idade gestacional

Intervenção favorável

Muito baixo

Controle rigoroso da glicose sanguínea a 1.5 hora pós-prandial (< 6.7 mmol/L) versus controle de costume (<7.8 mmol/L) em mulheres com diabetes do tipo 1 preexistente ᵃ

HbA1c média (por trimestre) ᵇ

Nenhuma diferença estatisticamente significativa

Muito baixo

glicose sanguínea 1 a 2 horas pós-prandiais ≤7.8 mmol/L versus >7.8 mmol/L em mulheres com diabetes preexistente ᵃ

Macrossomia na gestação de 29 a 32 semanas

Intervenção favorável

Muito baixo

2 horas - glicose sanguínea pós-prandial <6.4 mmol/L versus ≥6.4 mmol/L em mulheres com diabetes gestacional

Pré-eclâmpsia

Intervenção favorável

Muito baixo

Grande para a idade gestacional

Intervenção favorável

Muito baixo

Recomendações conforme apresentadas na diretriz fonte

As diretrizes de 2015 do National Institute for Health and Care Excellence (NICE) sobre diabetes gestacional fazem a seguinte recomendação:

Oriente gestantes com qualquer tipo de diabetes a manter a glicose plasmática capilar abaixo dos seguintes níveis-alvo, se puderem ser alcançados sem causar hipoglicemia problemática:

  • Jejum: 5.3 mmol/litro e

  • 1 hora após as refeições: 7.8 mmol/litro ou

  • 2 horas após as refeições: 6.4 mmol/litro.

Nota

O comitê de diretrizes observou que alguns dos estudos incluídos usaram intervalos gestacionais muito curtos e que o controle da glicose sanguínea pode precisar ser ajustado para mulheres, dependendo das circunstâncias pessoais e do tratamento.

ᵃ O comitê das diretrizes considerou as evidências para gestantes com diabetes do tipo 1, diabetes do tipo 2 ou diabetes gestacional. Eles extrapolaram as evidências para todas as mulheres com diabetes durante a gestação, pois, de maneira ideal, o nível glicêmico durante a gestação deve ficar o mais próximo possível do normal, sem aumentar o risco de hipoglicemia devido à relação linear entre a glicose sanguínea da mãe e o risco de complicações, como a macrossomia. Assim, essa tabela relata as evidências em mulheres com diabetes gestacional e quaisquer evidências indiretas relevantes de gestantes com diabetes preexistente, que estão includas nas recomendações das diretrizes, quando não houver evidência direta disponível.

ᵇ O comitê das diretrizes incluiu dados para o primeiro, segundo e terceiro trimestres; nenhum apresenta diferenças estatisticamente significativas entre os grupos de tratamento, respaldados por evidências de qualidade muito baixa

Esta tabela de evidências está relacionada às seguintes seções:

Esta tabela é um sumário da análise reportada em uma diretriz (apoiada por uma revisão sistemática) que se foca na importante questão clínica acima.


A confiança nas evidências é muito baixa ou baixa quando GRADE foi realizado e há uma troca entre os prós e contras da intervenção.


População:Indivíduos com diabetes do tipo 2

Intervenção:Automonitoramento da glicose sanguínea

Comparação:Nenhum automonitoramento da glicose sanguínea (incluindo cuidados usuais e automonitoramento da glicose na urina)

DesfechoEficácia (classificação do BMJ)?Confiança na evidência (GRADE)?

Hemoglobina A1c (HbA1c) (acompanhamento: 24-52 semanas)

Intervenção favorável

Baixo

Glicemia de jejum (mmol/L) (acompanhamento: 26-52 semanas)

Intervenção favorável

Baixo

Glicose sanguínea pós-prandial (mg/dL) em 26 semanas para adultos com diabetes do tipo 2 que tomam medicamentos dietéticos, antidiabéticos e/ou insulina (acompanhamento: 6 meses)

Intervenção favorável

Baixo

Qualquer hipoglicemia de 26-52 semanas (acompanhamento: 6-12 meses)

Favorece comparação

Baixo

Hipoglicemia grave de 26-52 semanas (acompanhamento: 6-12 meses)

Nenhuma diferença estatisticamente significativa

Baixo

Eventos adversos em 6 meses para adultos com diabetes do tipo 2 que tomam medicamentos anti-diabéticos (acompanhamento: 6 meses) 

Nenhuma diferença estatisticamente significativa

Moderado

Recomendações conforme apresentadas na diretriz fonte

O grupo de desenvolvimento de diretrizes declara: não ofereça rotineiramente o automonitoramento do nível glicêmico para adultos com diabetes do tipo 2 a menos que:

  • a pessoa faça uso de insulina ou

  • haja evidências de episódios hipoglicêmicos ou

  • o indivíduo tome medicamentos por via oral que possam aumentar o risco de hipoglicemia ao dirigir ou operar máquinas ou

  • a pessoa esteja grávida ou esteja planejando engravidar.

Nota

O grupo de desenvolvimento de diretrizes observou que o automonitoramento da glicose sanguínea fornece potencial para um controle glicêmico estrito, o que reduz o risco de complicações relacionadas ao diabetes. No entanto, o impacto sobre eventos hipoglicêmicos é importante para determinar a segurança e a aceitabilidade dos pacientes.

Esta tabela de evidências está relacionada às seguintes seções:

Respostas Clínicas Cochrane

O uso deste conteúdo está sujeito ao nosso aviso legal