Epidemiologia

Patógenos bacterianos atípicos são uma causa relativamente comum de doenças do trato respiratório inferior, incluindo pneumonia adquirida na comunidade.[1] A incidência de patógenos atípicos na pneumonia adquirida na comunidade é cerca de 22% globalmente, mas isso varia de acordo com a localização.[2]

O Mycoplasma pneumoniae causa até 20% dos casos de pneumonia adquirida na comunidade e tem sido implicado em algumas epidemias hospitalares. A infecção é comum em crianças e adultos jovens, e é geralmente observada em cenários comunitários de contato próximo, como em colégios internos, universidades e bases militares.[3] É a bactéria mais comumente detectada entre crianças ≥5 anos de idade hospitalizadas com pneumonia adquirida na comunidade.[4] Há um aumento relativo na incidência durante o fim do verão ou outono. Epidemias ocorrem em intervalos de 3 a 6 anos.[1] A exposição prévia é protetiva, embora o tabagismo apresente risco de doença.[5][6][7][8]

O Chlamydophila pneumoniae é responsável por 3.5% a 10.0% dos casos de pneumonia adquirida na comunidade. Assim como nas infecções por Mycoplasma pneumoniae, a infecção ocorre principalmente em crianças e adultos jovens, e está associada a cenários comunitários de contato próximo.[1][3][6][9][10] Um estudo holandês identificou Chlamydia psittaci pela reação em cadeia da polimerase do escarro (quando disponível) como uma causa da pneumonia adquirida na comunidade em 4.8% dos casos, superior ao relatado anteriormente (2.1%).[11]

A Legionella pneumophila é responsável por uma baixa porcentagem de casos de pneumonia adquirida na comunidade (em torno de 2.7%),[1] mas provoca até 16% dos casos que exigem hospitalização. Em geral, está associada à exposição a uma nova fonte de água aerossolizada em chuveiros ou de sistemas de refrigeração. Tabagismo, doença pulmonar crônica, imunossupressão e medicamentos imunomoduladores são fatores de risco conhecidos.[12] Pode estar associada a viagens recentes e ter maior predominância no sexo masculino.[6][13][14][15]

Os vírus (incluindo gripe [influenza], adenovírus, vírus sincicial respiratório, entre outros) podem causar pneumonia que apresenta características correspondentes às da pneumonia bacteriana atípica em até 25% dos pacientes com pneumonia adquirida na comunidade.[16][17][18][19] Em uma revisão sistemática, influenza foi o vírus identificado com mais frequência em adultos com pneumonia adquirida na comunidade, representando 9% dos casos.[20]

A Coxiella burnetii é responsável por aproximadamente 1% dos casos de pneumonia; no entanto, uma incidência maior ocorre em regiões onde há alta exposição a aerossóis contaminados derivados de gado. É uma causa mais comum de pneumonia na Europa e em certas regiões do Canadá.[21]

A causa específica de pneumonia adquirida na comunidade pode variar segundo a estação do ano, local e idade.[3][22][23][24]

O uso deste conteúdo está sujeito aos nossos avisos legais