Novos tratamentos

Lefamulina

Um antibiótico pleuromutilina, primeiro da classe, disponível nas formulações oral e intravenosa. Ele inibe a síntese de proteína bacteriana via interações com os sítios A e P do centro da peptidil transferase na subunidade 50S. A lefamulina oferece um espectro único de atividade que cobre Streptococcus pneumoniae, Haemophilus influenzae, Moraxella catarrhalis, Staphylococcus aureus (incluindo Staphylococcus aureus resistente à meticilina [MRSA], Estreptococos beta-hemolíticos (incluindo Streptococcus pyogenes e Streptococcus agalactiae) e Enterococcus faecium (incluindo enterococcus resistente à vancomicina). Também cobre Legionella pneumophila, Chlamydia pneumoniae e Mycoplasma pneumoniae, os organismos atípicos mais comuns que causam pneumonia adquirida na comunidade.[82][83][84] A segurança e eficácia de lefamulina foi avaliada em dois ensaios clínicos de fase 3, em que ficou constatado que não é inferior ao moxifloxacino (com ou sem linezolida) em termos de endpoints de eficácia primária (resposta clínica precoce, avaliação da resposta clínica pelo investigador). Foi considerada segura e bem tolerada.[85][86] No entanto, tem potencial para causar prolongamento do intervalo QT e não deve ser usada em pacientes com sabido prolongamento do intervalo QT, arritmias ventriculares ou que usem outros medicamentos que prolongam o intervalo QT. A lefamulina foi aprovada pela Food and Drug Administration dos EUA para o tratamento da pneumonia adquirida na comunidade em adultos; no entanto, sua função exata no tratamento ainda não está clara.

Delafloxacina

Um novo antibiótico com fluoroquinolona aprovado pela FDA para o tratamento de adultos com pneumonia adquirida na comunidade causada por uma bactéria suscetível designada. Cobre L pneumophila, C pneumoniae e M pneumoniae, os organismos atípicos mais comuns que causam pneumonia adquirida na comunidade. A aprovação baseia-se nos resultados de um estudo de fase 3 que constatou que não é inferior ao moxifloxacino.[87]

Omadaciclina

Um novo antibiótico de tetraciclina modernizado (aminometilciclina) com atividade de amplo espectro, desenvolvido para combater a resistência à tetraciclina. Cobre L pneumophila, C pneumoniae e M pneumoniae, os organismos atípicos mais comuns que causam pneumonia adquirida na comunidade. Está disponível em formulações intravenosas e orais. Como outros antibióticos da classe da tetraciclina, a omadaciclina pode causar descoloração dos dentes decíduos e inibição do crescimento ósseo fetal quando administrada durante a gravidez. Constatou-se que ele não é inferior ao moxifloxacino em termos de eficácia de adultos com pneumonia adquirida na comunidade.[88] A omadaciclina foi aprovada pela FDA para o tratamento da pneumonia adquirida na comunidade em adultos; no entanto, sua aprovação para essa indicação foi recusada na Europa em outubro de 2018.

Solitromicina

Em um ensaio clínico randomizado e controlado, a solitromicina oral, um macrolídeo, não demonstrou ser inferior ao moxifloxacino oral para o tratamento de pacientes com pneumonia bacteriana adquirida na comunidade.[89] Os estudos demonstram que a eficácia, a tolerabilidade e o perfil de segurança tornam esse medicamento um tratamento promissor.[90][91] A solitromicina está atualmente na fase 3 de desenvolvimento para o tratamento de pneumonia bacteriana adquirida na comunidade.

O uso deste conteúdo está sujeito aos nossos avisos legais