Critérios

Organização Mundial da Saúde (OMS): definição temporária de caso

Uma definição temporária de caso foi publicada pela OMS com o objetivo de padronização global da classificação e das notificações.[174]

Caso suspeito:

  • Uma pessoa se apresenta com erupção cutânea e/ou febre e pelo menos um dos sinais ou sintomas a seguir:

    • Artralgia

    • Artrite

    • Conjuntivite (não purulenta/hiperêmica).

Caso provável:

  • Um caso suspeito com a presença de anticorpos IgM contra o vírus da Zika e sem evidência de infecção por outros flavivírus, associado a um vínculo epidemiológico (ou seja, contato com um caso confirmado ou história de residência/retorno de viagem a uma área com transmissão local do vírus da Zika nas 2 semanas anteriores ao início dos sintomas).

Caso confirmado:

  • Uma pessoa com confirmação laboratorial de infecção recente pelo vírus da Zika:

    • Presença do ácido ribonucleico (RNA) do vírus da Zika ou do antígeno no soro ou em outras amostras (como saliva, tecidos, urina, sangue total)

    • A pesquisa de anticorpos IgM contra o vírus da Zika é positiva e o teste de neutralização por redução de placas (PRNT) para vírus da Zika tem título ≥20 e razão de título de PRNT do vírus da Zika ≥4 em comparação com outros flavivírus.

WHO: Zika virus disease - interim case definition external link opens in a new window

Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS): definição temporária de caso do vírus da Zika

Uma definição temporária de caso foi publicada pela OPAS.[152]

Caso suspeito:

  • Paciente com erupção cutânea (em geral pruriginosa e maculopapular) associada a 2 ou mais dos seguintes:

    • Febre (em geral <38.5 °C [<101.3 °F])

    • Conjuntivite (não purulenta/hiperêmica)

    • Artralgia

    • Mialgia

    • Edema periarticular.

  • Em áreas geográficas sem transmissão autóctone e nas quais não existam vetores presentes, os pacientes que atendem aos critérios acima e que:

    • nas 2 semanas anteriores ao início tenham viajado/residido em uma área geográfica na qual exista transmissão local conhecida do vírus da Zika ou onde exista presença conhecida do vetor; ou

    • tenham feito sexo sem proteção nas 2 semanas anteriores ao início com uma pessoa que viajou nas 8 semanas anteriores a uma área geográfica na qual exista transmissão local conhecida do vírus da Zika ou a uma área com presença conhecida do vetor.

Caso provável:

  • Paciente que atende aos critérios de caso suspeito e tem anticorpos IgM para Zika sem evidência de infecção por outros flavivírus.

Caso confirmado:

  • Paciente que atende aos critérios de caso suspeito e tem confirmação laboratorial de infecção recente pelo vírus da Zika:

    • RNA ou antígeno do vírus da Zika em qualquer espécime (ou seja, soro, saliva, tecido ou sangue total); ou

    • Anticorpos IgM positivos para Zika e teste de neutralização por redução de placas (PRNT) para títulos do vírus da Zika ≥20 e 4 ou mais vezes maior que os títulos de outros flavivírus, além de exclusão de outros flavivírus; ou

    • Detecção do genoma viral (em tecido fresco ou em parafina) em espécimes de autópsia por técnicas moleculares, ou detecção por imunoquímica.

A OPAS também publicou definições de caso para a síndrome de Guillain-Barré ou uma síndrome congênita associada ao vírus Zika, além de definições de aborto ou natimortos associados ao vírus Zika e transmissão vertical (sem síndrome congênita).

Pan American Health Organization: case definitions external link opens in a new window

Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC): doença do vírus da Zika e definição de caso de infecção pelo vírus da Zika

O CDC incluiu anteriormente a infecção pelo vírus da Zika em sua definição de casos de doenças arbovirais (neuroinvasivas e não neuroinvasivas); no entanto, tem agora definições de casos distintas para os subtipos congênito e não congênito:

CDC: Zika virus disease and Zika virus infection 2016 case definition external link opens in a new window

O uso deste conteúdo está sujeito aos nossos avisos legais