Prevenção primária

Na maioria dos pacientes, o EHH evolui ao longo de vários dias e o monitoramento da glicose sanguínea razoavelmente frequente pode ajudar a identificar pacientes em risco, principalmente idosos e pessoas em unidades de cuidados de longa permanência.

Muitos episódios poderiam ser evitados por meio de programas educacionais eficazes de tratamento ambulatorial. Pacientes e familiares devem receber informações sobre:[1]

  • Sintomas ou leituras de glicemia devem alertar o paciente a entrar em contato com a equipe de cuidados para diabetes

  • A importância do uso de insulina durante uma doença, e de nunca descontinuá-la sem consultar o profissional da saúde

  • Monitoramento frequente da glicemia (isto é, pelo menos a cada 3-4 horas, incluindo à noite, o que é especialmente importante em crianças)[40]

  • As metas de glicose sanguínea e o uso de suplementação de insulina de curta ou rápida ação para corrigir a glicemia elevada

  • O início de uma dieta de carboidratos líquidos de fácil digestão quando houver náuseas

  • Disponibilidade de antipiréticos e medicamentos para tratar infecções.

Todos os pacientes com diabetes, bem como pacientes com vírus da imunodeficiência humana (HIV) ou esquizofrenia, e seus cuidadores devem receber informações sobre os medicamentos que podem causar ou agravar a hiperglicemia.[29][32]

O uso deste conteúdo está sujeito ao nosso aviso legal