Procedural videos

Descompressão por agulha de um pneumotórax hipertensivo – Vídeo de demonstração

Equipamento necessário

  • Luvas estéreis, avental e proteção para os olhos

  • Antisséptico para preparação da pele

  • Cânula intravenosa de calibre largo: calibre 16 ou 14

  • Seringa "Luer-lock" de 10 mL

A segunda etapa definitiva deste procedimento será a inserção de uma drenagem torácica intercostal. Esteja preparado para inserir uma drenagem torácica intercostal ou solicite ajuda para realizar esse procedimento, após a descompressão por agulha de emergência bem-sucedida.

Contraindicações

Nenhuma se o pneumotórax hipertensivo for diagnosticado. Essa condição oferece risco de vida, e o tempo é essencial.

Se a história clínica e os achados do exame físico não forem sugestivos de pneumotórax hipertensivo, procure um diagnóstico alternativo.

Indicações

A descompressão por agulha da cavidade pleural preenchida por gás é realizada somente quando há suspeita de um pneumotórax hipertensivo.

Complicações

  • Pneumotórax iatrogênico

  • Hemotórax

  • Laceração do pulmão

  • Falha na descompressão

  • Torção ou bloqueio da cânula e recorrência do pneumotórax hipertensivo.

Pós-tratamento

Reavalie o paciente após a inserção da cânula, usando a técnica de observação, palpação, percussão e auscultação. Em alguns casos, a descompressão por agulha é insuficiente para aliviar o pneumotórax hipertensivo, e a inserção imediata de um tubo intercostal é necessária para proporcionar alívio adequado. [32]

Algumas causas de falha de descompressão por agulha são:

  • Comprimento insuficiente da cânula[33]

  • Obstrução (sangue, tecido, dobra)[32]

  • Ausência de pneumotórax hipertensivo localizado[32]

  • Ar vazando do pulmão mais rápido que este pode drenar através da cânula[33]

  • Necessidade de repetição de descompressão por agulha.[32]

É importante realizar o tratamento definitivo com drenagem torácica intercostal imediatamente após a descompressão de um pneumotórax hipertensivo.