Informações ao paciente da BMJ


COVID-19 (coronavírus)

Última publicação:Apr 12, 2022

Este folheto é referente ao surto de COVID-19 (coronavírus) que teve início na China no final de 2019. A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o surto uma pandemia. Isso significa que há disseminação ao redor do mundo.

Este vírus pode causar uma infecção pulmonar grave, e pode matar. Você pode usar nossas informações para conversar com seu médico se estiver preocupado sobre a COVID-19.

O que é o COVID-19?

A COVID-19 é uma doença causada por um tipo de vírus chamado coronavírus. Este é um tipo comum de vírus que afeta animais e humanos. Os coronavírus geralmente causam sintomas como os do resfriado comum. Mas, às vezes, eles podem causar infecções mais graves.

O coronavírus que causa a COVID-19 é um novo tipo de coronavírus. A maioria das primeiras pessoas afetadas teve alguma ligação com um mercado de frutos do mar e animais vivos na cidade de Wuhan, província de Hubei, China. Isso sugere que esse novo coronavírus pode ser uma combinação de coronavírus de humanos e de animais.

O vírus já se disseminou por todo o mundo. EUA, Índia, Brasil, França e Alemanha são os países com mais casos confirmados. EUA, Brasil, Índia, Rússia e México são os países com mais mortes.

Como as pessoas pegam a COVID-19?

A COVID-19 é capaz de se disseminar de pessoa para pessoa, geralmente pelo ar. O vírus se dissemina mais facilmente quando as pessoas tossem ou espirram. Ele também pode se disseminar quando as pessoas tocam em objetos e superfícies que contenham o vírus.

O vírus pode sobreviver por até 24 horas no papelão, e por até três dias em superfícies de aço inoxidável e plástico. As pessoas infectadas podem disseminar esse vírus mesmo se ainda não tiverem sintomas.

Você tem maior probabilidade de se infectar se:

  • você esteve em contato próximo com alguém com COVID-19

  • você estiver fazendo tratamento para câncer

  • você for idoso

  • você for do sexo masculino

  • você for obeso (estiver muito acima do peso)

  • você tiver uma doença renal crônica.

Pesquisas em alguns países, incluindo o Reino Unido e os EUA, revelaram que pessoas negras e de origem asiática têm maior probabilidade que pessoas brancas de serem infectadas e de ter sintomas graves.

Quais são os sintomas?

Acredita-se que as pessoas possam ter o vírus por até 14 dias sem apresentar nenhum sintoma. Este tempo antes do desenvolvimento dos sintomas é chamado período de incubação.

Algumas pessoas que pegam COVID-19 não apresentam nenhum sintoma. Mas muitos terão uma doença como um resfriado ou uma gripe forte. Algumas pessoas terão uma doença mais grave, como uma pneumonia.

Cerca de 80 em cada 100 pessoas com sintomas terão uma doença leve ou moderada, 15 em 100 pessoas terão uma doença grave e 5 em 100 pessoas terão uma doença muito grave (crítica).

Você tem maior probabilidade de ter doença grave se:

  • você for idoso

  • você viver em uma instituição asilar ou instituição de longa permanência

  • você for do sexo masculino

  • você for obeso

  • você for fumante

  • você tiver pressão arterial elevada

  • você tiver diabetes

  • você tiver uma doença cardiovascular (uma condição que afete seu coração ou seus vasos sanguíneos: por exemplo, ataque cardíaco, AVC, insuficiência cardíaca, angina)

  • você tiver uma condição de longa duração que afete seus pulmões, como asma ou doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC)

  • você tiver doença hepática gordurosa não alcoólica

  • você tiver câncer

  • você tiver sido submetido a um transplante de órgão

  • você estiver se recuperando de uma cirurgia.

Os sintomas mais comuns do COVID-19 são:

  • febre

  • tosse

  • dispneia

  • perda do olfato e

  • paladar reduzido

Os sintomas menos comuns podem incluir:

  • Dores e incômodos

  • sensação de fadiga

  • diarreia

  • náuseas ou vômitos

  • dor abdominal (na barriga)

  • perda de apetite

  • tosse com grande quantidade de catarro

  • faringite

  • confusão

  • tontura

  • nariz entupido ou coriza

  • conjuntivite (olhos lacrimejantes ou vermelhos)

  • cefaleia

  • rashes cutâneos

  • frieiras e

  • tosse contendo sangue.

As crianças parecem ser afetadas de maneira menos grave que os adultos. 

Mas houve relatos de COVID-19 causando uma doença grave em algumas crianças, com febre com mais de cinco dias de duração, erupção cutânea, glândulas edemaciadas no pescoço, dedos das mãos ou dos pés avermelhados e lábios ressecados e rachados.

Isso é muito raro. Mas se você tiver preocupações sobre seu filho, é muito importante falar com um médico o mais rapidamente possível.

Como você pode ver, muitos dos sintomas menos graves do COVID-19 são semelhantes aos de um resfriado ou gripe forte. Portanto, pode ser difícil diagnosticar o COVID-19 sem exames.

Se o seu médico acha que você pode ter COVID-19, pode ser necessário fazer alguns exames, como coletar amostras do seu nariz ou da sua boca, exames de sangue, radiografia torácica ou um outro tipo de exame de tórax chamado tomografia computadorizada (TC).

Algumas pessoas gravemente doentes com COVID-19 podem desenvolver problemas nos rins, fígado, sangue, coração ou cérebro. Se isso acontecer, você pode precisar de mais exames e cuidados extras.

Gestantes e lactantes

Não sabemos ao certo se o vírus pode passar de uma mãe infectada para o bebê no útero, ou para um bebê através da amamentação.

Os sintomas da COVID-19 durante a gestação são os mesmos das pessoas não gestantes.

Se você estiver grávida e apresentar sintomas, deve entrar em contato com seu médico imediatamente. Você pode precisar de ultrassonografias regulares durante a gravidez se tiver tido COVID-19. E você e seu bebê podem precisar de monitoramento extra durante o trabalho de parto e após o parto.

Alguns países, como o Reino Unido, recomendam que as gestantes sigam medidas de distanciamento social rigorosas.

Prevenção

Você pode tomar medidas para reduzir o risco de ser infectado pela COVID-19. Elas incluem:

  • lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, principalmente depois de estar em um local público. Se não houver água e sabão, use um antisséptico para as mãos à base de álcool que contenha pelo menos 60 por cento de álcool

  • evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas

  • limpar e desinfetar superfícies frequentemente tocadas todos os dias, incluindo balcões, telefones, interruptores de luz, puxadores e maçanetas

  • evitar contato próximo com pessoas doentes. A distância recomendada entre as pessoas varia entre os países. Por exemplo, nos EUA e no Reino Unido a recomendação é de 2 metros (6 pés).

Você deve seguir quaisquer políticas nacionais ou regionais referentes ao distanciamento social. Essas políticas podem mudar repentinamente, dependendo da rapidez com que uma determinada variante do vírus estiver se disseminando e de como os serviços de saúde locais estiverem lidando com a situação.

Dependendo de onde você mora, as restrições podem incluir:

  • cancelar ou limitar o tamanho de reuniões públicas

  • não frequenta escolas e universidades

  • não visitar cafés, bares, restaurantes e outras empresas

  • trabalhar em casa, se possível

  • apenas sair de casa para questões essenciais: por exemplo para comprar comida ou remédios

  • não deixe seu animal de estimação interagir com pessoas e animais fora de sua casa. No momento, não há evidências de que animais de estimação e outros animais possam disseminar a COVID-19, mas recomenda-se cautela. Os gatos podem ser infectados após o contato com pessoas que tenham COVID-19. Os cientistas estão realizando pesquisas nesta área.

Se você ficar doente, você deve:

  • ficar em casa e evitar o contato com outras pessoas

  • buscar atendimento médico imediatamente. Mas ligue com antecedência para o seu médico ou pronto-socorro e informe sobre os seus sintomas

  • não viajar enquanto não se sentir bem

  • cobrir a boca e o nariz com um lenço de papel ou a manga da camisa (não as mãos) ao tossir ou espirrar, e em seguida jogar o lenço no lixo

  • lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, principalmente depois de tossir, espirrar, assoar o nariz ou estar em um local público. Se não houver água e sabão, use um antisséptico para as mãos à base de álcool que contenha pelo menos 60 por cento de álcool

  • limitar o contato com animais de estimação e outros animais.

A maioria dos especialistas e governos agora recomendam fortemente o uso de máscaras em alguns ambientes: por exemplo, em áreas públicas internas, como lojas, e no transporte público. Em alguns países, as coberturas faciais são obrigatórias (isso significa que você deve usar uma) em locais como lojas e no transporte público.

A Organização Mundial de Saúde recomenda que você use máscara se for um profissional da saúde ou se estiver cuidando de alguém com COVID-19 em casa, ou quando o distanciamento social for difícil.

Se você usar uma máscara, lave as mãos com água e sabão ou use um antisséptico para as mãos à base de álcool antes de colocar a máscara. Você ainda precisará lavar as mãos frequente e completamente enquanto estiver usando a máscara.

As crianças com menos de 5 anos não devem usar máscaras.

A chance de a infecção se disseminar a partir de produtos alimentícios ou embalagens enviadas por um período de dias ou semanas é muito pequena.

O governo do Reino Unido orienta que é muito improvável que você possa ser infectado pela COVID-19 através dos alimentos. Mas você deve seguir boas práticas de higiene e preparação ao manusear e comer frutas, saladas folhosas e vegetais crus.

Isso significa lavar os produtos frescos para ajudar a remover qualquer contaminação sobre a superfície e tirar as camadas externas ou descascar certas frutas e legumes.

Vitamina D

A vitamina D é importante para manter seu sistema imunológico forte e prevenir infecções. Ainda não podemos dizer com certeza se isso ajuda a evitar a COVID-19. Mas há algumas evidências de que isso ajuda a prevenir infecções nos pulmões.

Muitas pessoas não recebem vitamina D suficiente, principalmente nos meses de inverno. Isso ocorre porque obtemos a maior parte de nossa vitamina D da luz solar que incide sobre nossa pele. Portanto, é importante se expor ao sol na maioria dos dias. Mas lembre-se: muito sol pode causar câncer de pele, por isso é importante evitar queimaduras.

Em alguns países, como o Reino Unido, agora é recomendado que as pessoas tomem um suplemento diário de vitamina D. Isso é especialmente importante nos meses de inverno e se você passar muito tempo em ambientes fechados por causa das regras de confinamento.

Restrições e políticas para viagens

Restrições de viagem e outras medidas de quarentena foram introduzidas para tentar impedir a disseminação do vírus. 

As orientações de viagem podem mudar rapidamente e variar entre as áreas. Você deve verificar as orientações mais recentes do governo do seu país antes de planejar uma viagem.

Quais tratamentos estão disponíveis?

Não há cura para a COVID-19. Mas programas de vacinação estão em andamento em muitos países.

Diferentes medicamentos estão sendo testados para verificar se podem ajudar os pacientes com COVID-19. A pesquisa está nos estágios iniciais, portanto esses medicamentos são administrados normalmente apenas como parte de um ensaio clínico.

Um medicamento chamado remdesivir pode ser usado nos pacientes com COVID-19 grave. O remdesivir é um tipo de medicamento chamado antiviral, o que significa que é usado para combater vírus.

Em alguns países, incluindo o Reino Unido, medicamentos anti-inflamatórios poderosos chamados corticosteroides estão sendo administrados a algumas pessoas com problemas respiratórios graves. Pesquisas anteriores sugerem que esse tratamento pode ajudar algumas pessoas a respirar mais facilmente e prevenir a morte.

Outros medicamentos estão sendo estudados para se verificar se podem ser úteis. E há muito mais tratamentos disponíveis do que no início da pandemia.

Por exemplo, medicamentos chamados anticorpos monoclonais agora estão sendo usados para tratar as pessoas com sintomas graves ou em risco de ter sintomas graves. Esses medicamentos podem reduzir as chances de alguém ter sintomas graves ou morrer.

Tratamento hospitalar

O tratamento para alguém com COVID-19 é o mesmo que para pneumonia ou qualquer outra infecção respiratória viral grave.

Se você for tratado no hospital, o tratamento consistirá em:

  • repouso

  • certificar-se que você esteja recebendo bastante líquido, possivelmente através de um gotejamento intravenoso (IV)

  • medicamento para reduzir a febre e reduzir a dor, se necessário

  • oxigênio, se você precisar, e

  • monitoramento rigoroso.

Você também pode receber antibióticos, caso tenha uma infecção bacteriana. Mas se os exames mostrarem que você tem uma infecção viral, os antibióticos serão interrompidos, pois antibióticos não funcionam contra vírus.

Alguns outros medicamentos estão começando a ser usados e saberemos mais sobre eles com o passar do tempo.

Pessoas com sintomas graves podem ser tratadas em uma unidade de terapia intensiva (UTI). Se você precisar ser tratado em uma unidade de terapia intensiva, seu tratamento também pode incluir:

  • um tubo que é passado pela boca até a traqueia, chamado tubo endotraqueal, e

  • um respirador para dar suporte a sua respiração.

Algumas pessoas em tratamento no hospital também podem precisar de tratamento para sepse.

Tratamento caseiro

Na maioria dos países, as pessoas gravemente doentes provavelmente serão isoladas e tratadas em hospitais.

Mas se alguém tiver sintomas leves com suspeita de COVID-19, provavelmente poderá ser tratado em casa até poder fazer o exame.

Por exemplo, no Reino Unido, as pessoas que apresentam sintomas são aconselhadas a não ir ao hospital imediatamente, mas a ficar em casa e entrar em contato com as autoridades de saúde e seguir suas orientações. Isso ajudará a impedir a disseminação do vírus.

As orientações para cuidar dessas pessoas em casa são as seguintes:

  • Elas devem receber cuidados em uma sala bem ventilada, ficar sozinhas e devem permanecer nessa sala o máximo de tempo possível, para não disseminar a infecção.

  • O número de pessoas que cuidam da pessoa doente deve ser limitado ao mínimo possível.

  • Idealmente, quem cuida da pessoa doente deve estar em boas condições de saúde.

  • Se você usar uma máscara médica enquanto cuida de alguém com sintomas, troque-a por uma nova se entrar em contato com fluidos corporais.

  • Lavar bem as mãos depois de tocar na pessoa doente. Você pode usar luvas descartáveis, como luvas de látex.

  • Descartar com cuidado qualquer lenço de papel que a pessoa use.

  • Não compartilhe nada, como toalhas ou roupas de cama, com a pessoa doente.

  • Lavar cuidadosamente todos os pratos, copos e talheres depois que forem usados pela pessoa.

  • Limpar e desinfetar com frequência as superfícies em que a pessoa toca regularmente, como mesas de cabeceira.

  • Limpar o vaso sanitário e as superfícies do banheiro regularmente.

  • Lave todas as roupas, roupas de cama e toalhas usadas pela pessoa doente com água entre 60 e 90 °C.

  • A pessoa doente deve limitar seu contato com animais de estimação e outros animais. No momento, não há evidências de que animais de estimação e outros animais possam disseminar a COVID-19, mas recomenda-se cautela. Os gatos podem ser infectados pelo coronavírus após o contato com pessoas que tenham COVID-19. Os cientistas estão realizando pesquisas nesta área.

  • Continue tomando qualquer medicamento prescrito, a menos que seu médico recomende que você pare.

As orientações podem mudar à medida que descobrirmos mais sobre esse vírus e como ele se dissemina.

Se você estiver cuidando de alguém em casa que possa ter COVID-19, toda a sua família precisará ficar isolada por até 14 dias para reduzir o risco de transmissão da infecção. Se você não tiver certeza do que fazer, entre em contato com seu médico para receber orientação.

Recuperação e sintomas de longa duração

A maioria das pessoas se recupera rapidamente da COVID-19. Mas cerca de 10 a cada 100 pessoas terão sintomas que duram mais de 3 semanas. E os sintomas de algumas pessoas duram meses. Você deve ter ouvido o termo “covid longa”, usado para descrever sintomas que se prolongam por muito tempo.

Esses sintomas de longa duração têm maior probabilidade de ocorrer se os seus sintomas forem graves. Mas podem ocorrer em pessoas de qualquer idade que já tiverem tido o coronavírus. Esses sintomas podem ir e vir, de modo que você tenha dias bons e dias ruins.

Os sintomas continuados mais comuns parecem ser:

  • tosse

  • febre baixa e

  • fadiga.

Outros sintomas continuados menos comuns podem incluir:

  • dispneia

  • dor, incluindo dor torácica, cefaleias ou apenas dores e incômodos gerais

  • erupções cutâneas

  • desconforto estomacal

  • problemas de memória e concentração, e

  • problemas de saúde mental, como transtorno do estresse pós-traumático (TEPT).

Se você tiver sintomas graves continuados o seu médico pode sugerir exames, como exames de sangue e urina para detectar infecções, ou raios-x.

Pode ser que esses sintomas diminuam ou desapareçam com o tempo e com repouso. Mas ainda não sabemos o suficiente sobre a Covid-19 para ter certeza do que pode acontecer.

Se você tiver sido tratado no hospital para COVID-19 grave, o seu médico deve providenciar qualquer tratamento contínuo de que você necessite. Mas mesmo que você não precise de tratamento hospitalar, você ainda pode ter sintomas de longa duração. Converse com seu médico sobre as ajudas que podem estar disponíveis.

Problemas de saúde mental afetam muitas pessoas que sofreram com COVID-19. Por exemplo, muitas pessoas lutam com contra o estresse, a ansiedade e o TEPT. Se achar que precisa de ajuda, converse com seu médico, familiares e amigos.

O que esperar no futuro

Não é possível dizer o que acontecerá com alguém infectado com COVID-19. O desfecho pode variar. O que sabemos até agora é que:

  • é mais provável que a infecção seja grave em pessoas idosas com problemas de saúde de longo prazo. Mas a maioria das pessoas com COVID-19 não fica gravemente doente

  • cerca de 80 em 100 pessoas com COVID-19 têm uma doença leve ou moderada

  • cerca de 20 em 100 pessoas desenvolvem sintomas mais graves

  • cerca de 500 milhões de casos confirmados foram relatados em todo o mundo

  • cerca de 6.2 milhões de pessoas morreram.

A melhor coisa a fazer é seguir as orientações sobre restrições de viagem, outras medidas de prevenção e sobre o que fazer se você estiver doente. Isso ajudará a proteger você e as pessoas ao seu redor.

Durante a pandemia de COVID-19, os médicos notaram que menos pessoas estão chegando ao hospital com doenças graves, como ataques cardíacos ou cânceres. Se você se sentir mal, mesmo que acredite não estar com COVID-19, é muito importante obter ajuda. Os hospitais ainda estão abertos para outras emergências.

Se você geralmente se exercita muito, deve repousar por pelo menos duas semanas após se recuperar da COVID-19 ou ter um teste positivo para coronavírus. Você deve conversar com seu médico sobre quando você poderá começar a se exercitar novamente.

Como cuidar da sua saúde mental

É normal sentir-se preocupado com o coronavírus. Este é um momento de incertezas e você pode estar se sentindo entediado, solitário, ansioso, frustrado ou triste.

É importante lembrar que, para a maioria das pessoas, esses sentimentos vão passar. Aqui estão algumas coisas que você pode fazer para cuidar da sua saúde mental durante a pandemia de coronavírus:

  • ficar conectado com amigos e familiares: por exemplo, por telefone ou via internet

  • falar sobre suas preocupações

  • continuar fazendo as coisas que você gosta de fazer

  • continuar recebendo apoio para suas dificuldades de saúde física e mental, se possível. Muitos profissionais da saúde oferecem consultas por telefone ou vídeo.

  • comer refeições saudáveis e beber água suficiente

  • fazer exercícios regularmente

  • tentar não beber bebidas alcoólicas em excesso

  • tentar manter um padrão de sono regular.

O uso deste conteúdo está sujeito ao nosso aviso legal